ASSINE

Preso por crime no Centro é suspeito de atirar em ritmista no Alagoano

De acordo com a Polícia Civil, Felipe dos Santos Dantas, o Felipe Orelha, de 20 anos, é um dos suspeitos de ter atirado contra Patrick Loureiro dos Santos

Publicado em 22/10/2020 às 18h10
Atualizado em 22/10/2020 às 22h21
Felipe dos Santos Dantas, conhecido como Felipe Orelha, foi preso na Avenida Fernando Ferrari, em Vitória. Crédito: Divulgação/Sesp
Felipe dos Santos Dantas, conhecido como Felipe Orelha, foi preso na Avenida Fernando Ferrari, em Vitória. Crédito: Divulgação/Sesp

O ritmista da Unidos da Piedade, Patrick Loureiro dos Santos Menezes, de 22 anos, morto durante um tiroteio no Morro do Alagoano, em Vitória, não era o alvo dos criminosos responsáveis pelo ataque realizado no último dia 22 de setembro.

A informação foi confirmada em coletiva de imprensa, nesta quinta-feira (22), pelo secretário de Estado da Segurança Pública  Alexandre Ramalho, e pelo titular da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Vitória, delegado Marcelo Cavalcanti.

De acordo com a Polícia Civil, Felipe dos Santos Dantas, o Felipe Orelha, de 20 anos, é um dos suspeitos de ter atirado contra Patrick. Ele foi preso pela Guarda Municipal de Vitória ao passar de carro na Avenida Fernando Ferrari nessa quarta-feira (21).

Alexandre Ramalho

Secretário de Estado da Segurança Pública 

"Ele também é um dos executores do ataque do baterista (Patrick). Naquele momento, ele tinha alvo na Ilha do Príncipe. Como a PM e a Guarda Municipal faziam cerco no bairro, eles migraram para o Alagoano e, independente de quem era, executaram, culminando com a morte do baterista"

De acordo com Ramalho, Felipe Orelha atua no crime desde quando era adolescente. Outro investigado por ter envolvimento no assassinato do ritmista é Thaian Silva, de 25 anos. Ele foi preso pela Polícia Militar quinta (15) no bairro São Benedito, na Capital.

Além de envolvimento com o tráfico de drogas no bairro São Benedito, Felipe Orelha é apontado como um dos executores de dois homens durante um ataque a um veículo no dia 4 de outubro no Centro de Vitória. Outras duas pessoas ficaram baleadas. As investigações apontam que o crime está relacionado com o tráfico de drogas.

Alexandre Ramalho

Secretário de Estado da Segurança Pública e Defesa Social

"Orelha é executor de uma organização criminosa da Grande Vitória. É sempre o indivíduo que executa a mando dessa organização. Muitas vezes, executa só para demonstrar poder de força, mostrar que ele detém essa qualidade de executor"

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.