ASSINE

Preso por crime no Centro é suspeito de atirar em ritmista no Alagoano

De acordo com a Polícia Civil, Felipe dos Santos Dantas, o Felipe Orelha, de 20 anos, é um dos suspeitos de ter atirado contra Patrick Loureiro dos Santos

Publicado em 22/10/2020 às 18h10
Atualizado em 22/10/2020 às 22h21
Felipe dos Santos Dantas, conhecido como Felipe Orelha, foi preso na Avenida Fernando Ferrari, em Vitória. Crédito: Divulgação/Sesp
Felipe dos Santos Dantas, conhecido como Felipe Orelha, foi preso na Avenida Fernando Ferrari, em Vitória. Crédito: Divulgação/Sesp

O ritmista da Unidos da Piedade, Patrick Loureiro dos Santos Menezes, de 22 anos, morto durante um tiroteio no Morro do Alagoano, em Vitória, não era o alvo dos criminosos responsáveis pelo ataque realizado no último dia 22 de setembro.

A informação foi confirmada em coletiva de imprensa, nesta quinta-feira (22), pelo secretário de Estado da Segurança Pública  Alexandre Ramalho, e pelo titular da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Vitória, delegado Marcelo Cavalcanti.

De acordo com a Polícia Civil, Felipe dos Santos Dantas, o Felipe Orelha, de 20 anos, é um dos suspeitos de ter atirado contra Patrick. Ele foi preso pela Guarda Municipal de Vitória ao passar de carro na Avenida Fernando Ferrari nessa quarta-feira (21).

Alexandre Ramalho

Secretário de Estado da Segurança Pública 

"Ele também é um dos executores do ataque do baterista (Patrick). Naquele momento, ele tinha alvo na Ilha do Príncipe. Como a PM e a Guarda Municipal faziam cerco no bairro, eles migraram para o Alagoano e, independente de quem era, executaram, culminando com a morte do baterista"

De acordo com Ramalho, Felipe Orelha atua no crime desde quando era adolescente. Outro investigado por ter envolvimento no assassinato do ritmista é Thaian Silva, de 25 anos. Ele foi preso pela Polícia Militar quinta (15) no bairro São Benedito, na Capital.

Além de envolvimento com o tráfico de drogas no bairro São Benedito, Felipe Orelha é apontado como um dos executores de dois homens durante um ataque a um veículo no dia 4 de outubro no Centro de Vitória. Outras duas pessoas ficaram baleadas. As investigações apontam que o crime está relacionado com o tráfico de drogas.

Alexandre Ramalho

Secretário de Estado da Segurança Pública e Defesa Social

"Orelha é executor de uma organização criminosa da Grande Vitória. É sempre o indivíduo que executa a mando dessa organização. Muitas vezes, executa só para demonstrar poder de força, mostrar que ele detém essa qualidade de executor"

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.