Polícia investiga morte de mulher no Condomínio Ourimar, na Serra

Como não tinha marcas de violência no corpo, o caso foi registrado pela polícia como "morte a esclarecer"

Publicado em 24/04/2020 às 17h17
Atualizado em 24/04/2020 às 18h31
Policiais da DHPP vão investigar o crime
Policiais da DHPP foram ao local do crime. Crédito: Fernando Madeira

A Polícia Civil iniciou uma investigação para apurar o caso de uma mulher, de 37 anos, encontrada morta dentro de casa, no Condomínio Ourimar, em Vila Nova de Colares, na Serra, na manhã desta sexta-feira (24). Antes de ser localizada sem vida, familiares contam que a vítima passou a noite com um homem, que saiu da residência. Como não tinha marcas de violência no corpo, o caso foi registrado como "morte a esclarecer".

Polícia Militar informou que foi acionada pela manhã para verificar a informação de que uma mulher, de 37 anos, havia sido encontrada morta em casa, no Condomínio Ourimar.

De acordo com a Delegacia Especializada em Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), o chamado da PM dizia que os policiais foram ao local e notaram que a mulher não tinha marcas visíveis de violência, no corpo continha apenas sangue na região da boca. 

"Em contato com uma parente da vítima no local, os militares foram informados que, anteriormente, a mulher tinha levado um homem para casa e que por volta das 05h30 ele teria sido visto deixando o local. Ao ir à residencia da mulher pela manhã, a encontrou em seu quarto, já em óbito", informou a PM, por nota.

INVESTIGAÇÃO INICIAL: MORTE A ESCLARECER

A perícia foi acionada e a ocorrência foi encaminhada à Polícia Civil para investigação. Procurada, a PC informou que o caso foi registrado como "morte a esclarecer",  já que o corpo da mulher não possuía marcas de violência e foi encaminhado ao Departamento Médico Legal (DML) de Vitória, para passar por exame cadavérico e ser liberado pelos familiares. PC não informou a identificação da vítima.

"Apenas após os exames será possível confirmar a causa da morte. O procedimento será encaminhado para a Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Mulher (DHPM), que aguardará o resultados dos exames para definir se haverá instauração de inquérito, caso seja constatada morte violenta", informou a PC, por nota.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.