ASSINE

Polícia conclui investigação de ataque com morte no Centro de Vitória

Crime ocorreu em junho; um jovem de 27 anos foi executado a tiros e duas idosas acabaram feridas

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 04/08/2021 às 21h56
Execução
Lucas da Silva Martins, 28 anos, morto no Centro de Vitória. Crédito: Arquivo da família

Um homem foi preso por suspeita de envolvimento no assassinato de Lucas da Silva Martins, 28 anos, morto a tiros no Centro de Vitória no dia nove de junho deste ano. Segundo a polícia, um outro suspeito ainda está foragido. Os nomes deles não foram divulgados. A dupla foi indiciada por homicídio e dupla tentativa de homicídio, já que, no ataque, duas mulheres, de 66 e 62 anos, ficaram feridas. Mais detalhes sobre a conclusão da investigação policial serão passados à imprensa nesta quinta-feira.

O CRIME

Imagens de videomonitoramento mostram o momento em que Lucas foi atingido pelos disparos. No vídeo abaixo é possível ver a movimentação de alguns homens quando, de repente, as pessoas começam a correr. Em seguida, um homem cai no chão e outro, de capacete, efetua disparos contra a cabeça da vítima, que morreu na hora. Assista:

O homem na garupa da moto desceu e correu até Lucas, sacando arma da cintura e abrindo fogo contra ele. No corpo do rapaz foram encontradas 11 perfurações. Outro disparo atingiu uma senhora que aguardava na fila com o irmão. Ela foi atingida no ombro. Também foi baleada a dona Ana Cunha Ferreira, 66 anos, que acompanhava o marido. Ela foi ferida na perna. As duas foram socorridas para o hospital e passam bem.

Os disparos teriam sido efetuados próximo à Praça Oito. Informações coletadas do plantão da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) no dia do crime dão conta de que dois motociclistas seguiam pela avenida Beira-Mar. Lucas estava na fila para entrar no edifício das Repartições Públicas, onde está localizado o Escritório Social – vinculado à Secretaria de Estado da Justiça (Sejus) – na Avenida Jerônimo Monteiro. Outras pessoas também aguardavam na fila.

A Sejus informou, por nota, que o local reúne "atendimentos e serviços para dar suporte aos egressos do sistema prisional e para suas famílias em diversas áreas como saúde, qualificação, encaminhamento profissional e atendimento psicossocial. Além disso, no espaço funciona o serviço de apresentação dos egressos à Justiça (Poder Judiciário)". Lucas, conforme a Sejus, "cumpriu pena no sistema prisional no período de 06/10/2018 a 04/12/2020 pelo crime de tráfico de drogas. Ele também possuía passagem por homicídio".

GRITARIA NA HORA DO CRIME

No momento do crime, uma grande fila estava formada na caçada do edifício, que abriga o Escritório Social - vinculado a Secretaria de Estado da Justiça (Sejus). Ali também estavam Adelino de Souza, de 58 anos, e a esposa dele, de 66 anos, que acabou ferida na perna. Na hora dos disparos, o idoso se jogou no chão e tentou proteger a esposa, mas não conseguiu.

"Foi só a pipoca saindo de lá para cá. Já deitei puxando ela, mas ela escuta pouco. Ela ficou procurando o que era, e daqui a pouco ela deitou e começou a reclamar de dor. Disse que um tiro tinha acertado ela na coxa. Foi aquela gritaria. Parecia que tinha baleado uns 10 e eu pensei que minha esposa estava baleada em um lugar perigoso", contou em entrevista à TV Gazeta.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.