ASSINE

PF prende capixabas em barco com quase 3 toneladas de cocaína em SC

Sete pessoas estavam na embarcação que seguiria para a África e quatro delas são do Espírito Santo. Todos foram presos pela Polícia Federal e cumprem prisão preventiva no Presídio de Canhanduba, no Vale do Itajaí (SC)

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 14/07/2021 às 10h26
Santa Catarina
Sete tripulantes, incluindo capixabas, estavam neste barco no qual 2,8 toneladas de cocaína eram escondidas na câmara fria. Crédito: Divulgação/Polícia Federal

No início deste mês, uma grande operação da Polícia Federal interceptou um barco pesqueiro no Rio Itajaí-Açu, na cidade de Itajaí, em Santa Catarina, com quase 3 toneladas de cocaína, escondidas em meio ao gelo destinado ao acondicionamento de peixes. Sete pessoas estavam na embarcação que seguiria para a África com a droga, sendo que quatro delas são capixabas. A informação foi obtida com exclusividade por A Gazeta junto à Secretaria de Gabinete da Polícia Federal em Itajaí.

Em resposta à demanda feita pela reportagem, a PF catarinense informou que, logo após o flagrante, "a Polícia Federal representou ao Juízo Federal de Itajaí o qual aceitou o pedido de conversão da prisão em flagrante para prisão preventiva. Confirmamos que haviam cidadãos do Espírito Santo entre os presos e que os mesmos continuam custodiados no Presídio de Canhanduba/Itajaí à disposição da justiça", diz o trecho da nota.

A OPERAÇÃO

Na madrugada de sábado (3), sete tripulantes de um barco foram presos por tráfico internacional de entorpecentes. A reportagem apurou que os capixabas presos seriam da cidade de Anchieta, no Litoral Sul do Estado. Ainda não foi esclarecido se eles embarcaram no Espírito Santo no barco abordado pelos agentes da Polícia Federal.

Santa Catarina
A droga era guardada em bolsas impermeáveis e seria levada para o continente africano. Crédito: Divulgação/Polícia Federal

Toda a cocaína estava em tabletes, guardados em dezenas de bolsas estanques — que são impermeáveis. As bolsas estavam sob 30 toneladas de gelo, que precisou ser removido e descongelado para se chegar à droga. Pelo menos 2,8 toneladas dos entorpecentes foram encontradas na embarcação. Além da PF, a ação contou com o apoio da Marinha do Brasil durante toda a operação, especialmente no controle do tráfego aquaviário.

A reportagem entrou em contato com a Secretaria de Estado da Administração Prisional e Socioeducativa de Santa Catarina para saber se os capixabas continuarão presos no local ou se podem ser transferidos para o Espírito Santo, mas até o momento não houve retorno por parte da pasta estadual catarinense. 

O advogado David Metzker, que faz a defesa de um dos capixabas presos em flagrante, enviou uma nota à reportagem se manifestando sobre o caso.

Em nota, ele explicou que "o barco saiu de Itajaí e, em razão de problema no motor, retornou ao cais, quando foram presos pela Polícia Federal. Atualmente se encontram presos no Complexo Penitenciário do Vale do Itajaí. Foi feito pedido de revogação da preventiva, pois resta claro que não faz parte da organização criminosa e muito menos tem habitualidade, se tratando de réu primário e de bons antecedentes, restando demonstrado que a prisão é completamente desnecessária. De igual forma, a defesa se manifesta que fará o pedido de transferência para que possa ficar mais próximo da família. Todavia, a defesa espera que seja revogada a prisão"

A Gazeta integra o

Saiba mais
Anchieta Polícia Federal tráfico de drogas

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.