ASSINE

PF detém dois suspeitos recebendo R$ 2 mil em notas falsas em Pinheiros

Homem preso responderá pelo crime de moeda falsa, e adolescente apreendido foi levado a uma delegacia de Polícia Civil. Cada um foi flagrado recebendo pacote com dez cédulas falsas de R$ 100

Tempo de leitura: 2min
Colatina
Publicado em 08/12/2021 às 15h34

Polícia Federal prendeu um homem e apreendeu um adolescente nesta quarta-feira (8), em Pinheiros, no Norte do Estado, no momento em que eles recebiam, cada um, um pacote contendo dez notas falsas de R$ 100 — um total de R$ 2 mil. Segundo a Delegacia da PF de São Mateus — que realizou a prisão — a encomenda foi recebia por meio dos Correios.

A ação foi iniciada após a área de segurança dos Correios acionar a Polícia Federal informando que duas encomendas suspeitas, com indicativos de material irregular, estavam seguindo para o município de Pinheiros. Os policiais acompanharam o momento em que as encomendas foram entregues e detiveram os dois suspeitos.

Cem cédulas falsas de R$ 100 enviadas pelo Correio foram apreendidas em Pinheiros.
Dez cédulas falsas de R$ 100 enviadas pelo Correio foram apreendidas em Pinheiros. Crédito: Polícia Federal

O homem preso disse aos policiais federais que havia comprado as cédulas pela internet. Ele vai responder pelo crime de moeda falsa, cuja pena varia de três a 12 anos de reclusão. Já o adolescente foi encaminhado para a Delegacia de Polícia Civil do município.

Este vídeo pode te interessar

De acordo com a Polícia Federal, as investigações seguirão na corporação em busca de outras provas que indiquem se há o envolvimento de mais pessoas.

Os Correios informaram, por nota, que mantêm parceria com todos os órgãos de segurança pública para prevenir o tráfico de itens proibidos, por meio do serviço postal. Os empregados atuam de forma diligente visando identificar postagens cujo conteúdo esteja em desacordo com a legislação.

A empresa também destacou que possui métodos de monitoramento que são aprimorados, periodicamente, com base em informações apresentadas pelos órgãos de segurança e de fiscalização. Muitas das operações de combate a ilícitos começam por meio do processo de fiscalização não-invasiva (raio-x) dos Correios. Quando algum objeto com conteúdo proibido ou ilícito é detectado, os Correios acionam os órgãos competentes.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.