Perícia descobriu substância tóxica ao analisar cerveja de capixaba, diz amigo

A informação é de Edilson Júnior, amigo do capixaba Luiz Felippe Teles Ribeiro, internado em estado grave após ingerir cerveja contaminada com dietilenoglicol

Publicado em 11/01/2020 às 16h52
Atualizado em 20/01/2020 às 12h30
O capixaba Luiz Felippe Teles Ribeiro está internado em estado grave. Crédito: Reprodução
O capixaba Luiz Felippe Teles Ribeiro está internado em estado grave. Crédito: Reprodução

capixaba Luiz Felippe Teles Ribeiro, de 37 anos, contaminado pela substância dietilenoglicol, encontrada em amostras da cerveja Belorizontina, da cervejaria Backer, em Minas Gerais, está internado em estado gravíssimo. Em conversa com a reportagem de A Gazeta na tarde deste sábado (11), um amigo próximo de Luiz, Edilson Júnior contou que a cerveja ingerida por Luiz foi crucial para que a perícia da Polícia Civil descobrisse a substância tóxica.

Edilson Júnior

Amigo de Luiz Felippe, capixaba internado

"A cerveja foi comprada em uma promoção em uma rede de supermercado. Luiz comprou sete caixas e foi tomando... Restaram duas na casa dele. Parte foi enviada para a polícia, Secretaria Municipal da Saúde e Vigilância Sanitária"

"Depois de saber da contaminação do lote, a polícia foi até a casa do Luiz para recolher as garrafas da bebida para fazer a perícia. Por meio do líquido que foi constatado as intoxicações por dietilenoglicol", afirma. Essa substância é anticongelante e usada no processo de resfriamento da cerveja.

A contaminação aconteceu durante um churrasco que é de costume na casa de Luiz. Participavam a esposa dele e os pais da mulher. Edilson afirmou à reportagem que a esposa de Luiz ainda ingeriu um pouco da bebida alcoólica, mas não apresentou nenhum sintoma. "Todo final de semana eles fazem churrasco lá. A esposa dele bebeu um pouco e não passou mal. Eu não estava na cidade no dia em que ele se sentiu mal. Voltei correndo para Belo Horizonte e ele já estava em estado grave", revela.

Laudo da Polícia Civil de Minas Gerais

O sogro de Luiz Felippe, o bancário Paschoal Demartini Filho, 55 anos, também foi contaminado e morreu. Ele foi sepultado na última sexta-feira (11) em Ubá, município de Minas Gerais.

FALTA DE ASSISTÊNCIA

O amigo do metalúrgico afirma que a cervejaria Backer ainda não procurou a família para prestar assistência. "Por enquanto, não estamos preocupados com isso. Queremos centrar as nossas forças na ajuda da recuperação de Luiz Felippe", ressalta, dizendo que ainda não há planos por parte dos familiares de acionar a empresa judicialmente.

"O caso está sob investigação da Polícia Civil de Minas Gerais. Esperamos transparência, mas nenhuma ação vai trazer a volta de Paschoal ou mesmo a recuperação plena de Luiz Felipe", lamenta.

PEDIDO DE DOAÇÃO DE SANGUE

Amigos e familiares do engenheiro metalúrgico capixaba fazem campanha pedindo doações de sangue para Luiz Felippe Telles Ribeiro. Quem puder ajudar, pode procurar a Vita Hemoterapia, no bairro Barro Preto, em Belo Horizonte, Minas Gerais. As doações podem ser feitas de segunda a sexta-feira (das 7h30 às 16h) e também aos sábados (das 8h às 13h). Todos os tipos sanguíneos são aceitos.

Amigos pedem por doação de sangue para Luiz Felippe, capixaba internado. Crédito: Reprodução
Amigos pedem por doação de sangue para Luiz Felippe, capixaba internado. Crédito: Reprodução
Minas Gerais Cervejaria Backer capixaba capixaba Cerveja Cerveja Contaminada

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.