ASSINE

Notas falsas de R$ 100 são achadas no meio da rua em Cariacica

Homem estava de carro quando encontrou maço. Ele parou, observou que todas as notas tinham mesmo número de série e as entregou à Polícia Federal

Tempo de leitura: 2min
Vitória
Publicado em 04/08/2022 às 18h02

Imagine estar passando de carro e ver um maço de notas de 100 reais no meio da pista? Essa foi a situação vivida por um homem, na tarde desta quinta-feira (4), em Santana, Cariacica. Quando parou para verificar, percebeu que todas as cédulas tinham o mesmo número de série, ou seja, eram falsificadas, e entregou os R$ 7.800 para a Polícia Federal.

A corporação informou que o homem seguia de Santana para o Centro de Vitória quando, no acostamento da via, viu o dinheiro. Notando a mesma numeração, estranhou. "Sem saber o que fazer, buscou informações na internet que diziam que ele deveria entregar o dinheiro na delegacia mais próxima ou na Polícia Federal e, como estava mais próximo desta última, assim o fez", explicou a PF, em nota.

Ao todo, havia 78 notas de 100 reais. O dinheiro foi entregue na Superintendência da PF, que abriu um inquérito para identificar os responsáveis pela produção das cédulas falsas.

"Importante salientar que esse senhor teve uma atitude muito correta. Qualquer pessoa que encontre ou receba dinheiro falso deve imediatamente entregar a autoridades para que seja possível a investigação de quem falsificou esse dinheiro", ressaltou o delegado Eugênio Ricas, superintendente da PF do Espírito Santo.

De acordo com a corporação, crimes desse tipo são considerados de grave potencial ofensivo, e a pena pode variar de três a 12 anos de prisão.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.