ASSINE

Mulher é morta pelo filho após se negar a dar dinheiro para ele em Cariacica

Dalva Maria de Oliveira tinha 57 anos. Após o crime, Bruno Rodrigues Pereira, 24 anos, fugiu

Publicado em 26/11/2020 às 12h42
Dalva Maria de Oliveira foi morta pelo filho
Dalva Maria de Oliveira foi morta pelo filho. Crédito: Reprodução/TV Gazeta

Uma mulher de 57 anos morreu após ser atingida por golpes de faca pelo filho, de 24 anos, que é dependente químico. O crime aconteceu na noite desta quarta-feira (25) no bairro Bubu, em Cariacica, na casa da família.

Dalva Maria de Oliveira, que trabalhava como empregada doméstica, chegou a ser socorrida e levada para o Hospital Estadual de Urgência e Emergência, em Vitória, mas não resistiu aos ferimentos. Já o filho, Bruno Rodrigues Pereira, fugiu.

De acordo com informações da Polícia Civil, Bruno - que não é filho biológico de Dalva, mas foi criado por ela desde que tinha 1 ano de idade - chegou em casa na noite de quarta na companhia de um adolescente, que seria seu cunhado. Ele exigiu que a mãe lhe desse R$ 500. Com a negativa de Dalva, Bruno ficou furioso e pegou a faca para agredi-la.

Dalva foi atingida por um golpe no braço e outro no pescoço. O marido dela, Eudes Mendonça, de 74 anos, também foi esfaqueado no rosto. O idoso foi levado para o hospital junto com a esposa e sobreviveu. Após atacar os familiares, Bruno fugiu.

Bruno Rodrigues Pereira, 24, é acusado de esfaquear e matar a mãe
Bruno Rodrigues Pereira, 24, é acusado de esfaquear e matar a mãe. Crédito: Reprodução/TV Gazeta

Vandeir Antônio é vizinho da família e ajudou no socorro das vítimas.

"Quando eu cheguei eu me deparei com o estado da minha vizinha, que estava furada na garganta. Minha esposa viu que era grave. Ela estava segurando um pano na garganta, que não dava conta de conter o sangramento. Minha esposa pegou uma toalha e enrolou no pescoço dela", contou o lanterneiro.

MEDO

Vizinhos da família contaram que Bruno era criado por Dalva desde que o jovem tinha um ano de idade. No entanto, Bruno passou a se envolver com drogas já na adolescência e, por esse motivo, a mãe tinha medo dele.

"Ela chegou a comentar que tinha medo dele, de que a qualquer momento ele arrombasse a porta da casa dela. Ele já tinha invadido a casa dela uma outra vez", relatou uma testemunha, que preferiu não se identificar.

A Polícia Civil investiga o caso.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.