ASSINE

Mulher com bebê no colo é agredida com socos pelo marido na Serra

A vítima registrou Boletim de Ocorrência e pediu uma medida protetiva contra o agressor. Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) da Serra investiga o caso

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 05/08/2021 às 20h00
Violência contra Mulher
Violência contra Mulher. Crédito: Pixabay

Uma mulher foi agredida pelo companheiro no bairro Pitanga, na Serra, na madrugada desta quinta-feira (5). A vítima, de 36 anos, levou socos do homem após uma festa com cerca de seis pessoas da família em sua casa. Ela estava com a filha de apenas 10 meses no colo.

A mulher, que não terá o nome divulgado nesta matéria, contou que não é a primeira vez que ela é agredida tanto verbalmente quanto fisicamente pelo companheiro, que tem 38 anos. Ela afirmou que está há três anos em um relacionamento com ele e que, agora, cansou de se sentir oprimida.

Segundo ela, as agressões começaram sem motivo algum. Ao final da festa, quando os convidados já haviam ido embora, seu companheiro começou a xingá-la. Ela, então, disse que iria embora com a filha do casal. Nisso, ele a segurou e começou a agredi-la, com a criança ainda em seu colo. A vítima teve que levar 10 pontos na boca.

"Ele me ameaçava, eu não estou mais aguentando. Quando a festa acabou, ele mudou, ficou agressivo e me xingou. Eu disse que ia sair e dormir fora. Quando eu estava no portão, ele puxou minha filha. Eu o empurrei, e ele deu um soco na minha cara, eu ainda estava com minha filha no colo", detalhou.

Vítima de agressão

36 anos

"Ele diz que vai me matar, me chama de burra, me xinga. Ele só me oprime, estou cansada. Estou me sentindo um lixo porque ele só me humilha. Ele me agrediu ontem sem motivo algum. Não foi a primeira vez "

Na tarde desta quinta-feira, ela registrou Boletim de Ocorrência na Delegacia da Mulher e pediu uma medida protetiva contra o agressor. A reportagem de A Gazeta demandou a Polícia Civil para saber se o caso será investigado e se o homem será detido.

Em nota, a PC afirmou que o caso foi registrado na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) da Serra, que conduzirá as investigações. Confirma que foi solicitada a Medida Protetiva de Urgência (MPU) e instaurado o inquérito policial. "Até o momento, nenhum suspeito foi detido. Como se trata de uma investigação em andamento, detalhes não serão divulgados, para preservar a apuração dos fatos", diz a nota.

A Polícia Civil afirma que, por meio do Disque-Denúncia 181, a população pode contribuir de forma anônima para o trabalho de investigação, que também tem um site onde é possível anexar imagens e vídeos de ações criminosas, o disquedenuncia181.es.gov.br. O anonimato é garantido e todas as informações são investigadas.

Este vídeo pode te interessar

A Gazeta integra o

Saiba mais

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.