ASSINE

Ladrões disfarçados de entregadores assaltam adolescentes em Cariacica

Os dois suspeitos estavam em uma moto, um deles armado e usando uma mochila de aplicativo de entregas; vítima de 16 anos tentou esconder o celular, mas teve o aparelho roubado

Tempo de leitura: 3min

Dois adolescentes foram vítimas de criminosos enquanto voltavam para casa no início da noite deste domingo (3), no bairro São Geraldo, em Cariacica. Em uma moto, os dois suspeitos estavam rodando pelo bairro disfarçados de entregadores de lanche, usando até bolsa de um aplicativo de delivery.

Uma das vítimas, um adolescente de 16 anos, contou que havia saído por cerca de 30 minutos e estava voltando para casa quando pegou o celular para avisar à mãe que estava chegando.

"Esses caras vieram e me viram mexendo no celular. Eles passaram e depois viraram para manobrar a moto. Na hora que eu vi, já falei: 'Vou ser assaltado agora!' Corri e tentei esconder o celular", lembrou o adolescente, que, por ser menor de idade, não será identificado.

A ação foi gravada por câmeras de segurança (veja acima). Na imagem, é possível ver o adolescente e o amigo dele, de 15 anos, correndo. O rapaz coloca o celular no chão, na frente da porta de um estabelecimento, e os dois seguem pela rua. Logo atrás, chegam os suspeitos.

O que está na garupa, com a bolsa de entregador, desce da moto armado. Os adolescentes levantam os braços, se rendendo. "Eles falaram: 'É um assalto, passa o celular!' Eu disse que não estava com o aparelho, mas ele disse que tinha me visto escondendo e mandou eu mostrar onde estava, apontando a arma. Eu mostrei e eles pegaram", relatou.

Depois, o criminoso ainda perguntou sobre o celular do outro adolescente, que estava sem. Em seguida, os dois fugiram na moto.

SUSPEITOS RODARAM POR VÁRIOS BAIRROS

O adolescente assaltado tem o costume de, por precaução, mandar a localização dele em tempo real para a mãe, quando sai. Por isso, assim que foi roubado, ele correu para casa para tentar rastrear os bandidos.

"Vi o cara rodando. Ele foi para Rosa da Penha, Maracanã, passou na frente de um monte de escola, pelo menos umas cinco. A localização parou em Bandeirantes, onde eu acho que eles desligaram o celular", contou.

O rapaz chegou a acionar a Polícia Militar para tentar recuperar o aparelho, sem sucesso. Agora, ele espera que os criminosos sejam localizados. "O celular tinha cinco meses de uso, foi mais de R$ 6 mil. Apesar de tudo, minha mãe sempre falou que dinheiro, celular, a gente não leva quando morre. O que importa é eu estar bem. Estou confiando na polícia para eles recuperarem o celular."

O QUE DIZEM AS POLÍCIAS

A Polícia Militar informou que "foi acionada e realizou buscas por toda a região, mas nenhum suspeito foi localizado".

A vítima foi até uma delegacia em Cariacica, nesta segunda-feira (4), e registrou a ocorrência. De acordo com a Polícia Civil, "o caso está sendo investigado por uma unidade policial".

A Gazeta integra o

Saiba mais

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.