ASSINE

Jovem é preso após anunciar armas e munições pelo WhatsApp em Cachoeiro

Homem de 24 anos foi detido com munições, uma espingarda, um celular e R$ 1.657. Ele foi autuado em flagrante por comércio ilegal de arma de fogo

Tempo de leitura: 2min
Publicado em 22/06/2022 às 19h05

Um jovem de 24 anos foi detido nesta terça-feira (21), no bairro Coramara, em Cachoeiro de Itapemirim, no Sul do Estado, após a polícia receber denúncias de que ele comercializava munições e armas de fogo ilegalmente por meio do aplicativo de mensagens WhatsApp. O nome dele não foi divulgado.

Homem é detido por vender armas e munições pelas redes sociais em Cachoeiro
Com o homem foi detido R$1.657,00, 10 munições cal. 380, 40 munições cal. 9mm, uma espingarda de chumbinho e um celular Samsung preto. Crédito: Divulgação \ 9°BPM

Segundo o 9º Batalhão da Polícia Militar, guarnições da Força Tática receberam informações sobre um comércio de munições e armas de fogo realizado por um homem. De acordo com a denúncia, ele teria postado no status do WhatsApp as mensagens: “Bala de 380 e 9 mm a 10 reais a unidade para acabar”.

Diante da denúncia, uma equipe da corporação realizou um patrulhamento no local comunicado onde acontecia a venda do material, no bairro Coramara. Militares viram o suspeito dentro de um estúdio de tatuagem e fez contato com o jovem.  “Pela porta de entrada, de imediato, avistamos em cima da mesa, uma caixa de munição, onde indagamos sobre a referida caixa e sobre a postagem que havia realizado em seu status”, comunicou o  9º Batalhão da PM, em Cachoeiro.

MATERIAIS ENCONTRADOS

Para a polícia, o homem confirmou ter algumas munições e justificou que pegou o material em troca de um serviço de tatuagem feito por ele. Além disso, informou aos policiais que já havia vendido algumas unidades para diversas pessoas, mas não divulgou os nomes de quem comprou e nem quem vendeu as munições.

Ainda segundo o 9º Batalhão da PM, o jovem disse apenas que teria adquirido um total de 50 munições de calibre 9 mm e 50 de calibre 380. “Diante do estado flagrancial, entramos no estabelecimento comercial para apreender o material, sendo 10 munições de cal. 380 (espalhadas pelo rack) e, 40 munições de cal. 9 mm (em uma caixa) ambas intactas”, informou a corporação.

Contudo, em posse do indivíduo, a polícia também encontrou uma quantia de R$ 1.657 em espécie, um aparelho celular, e, ao realizar buscas pelo local, localizou, na área de serviço anexa ao estúdio, uma espingarda de pressão em perfeito estado de conservação.

A PM informou que, segundo as denúncias, o jovem negocia os valores e entrega das munições e de armamentos por meio do WhatsApp.

A polícia questionou ao homem sobre a posse de arma de fogo, porém, ele disse que não possuía nenhum tipo de armamento, intitulando-se “barganhista” para justificar o comércio das munições e armas.

A Polícia Civil informou que o jovem foi autuado em flagrante pelo crime de comércio ilegal de arma de fogo, sendo, posteriormente, encaminhado ao Centro de Detenção Provisória de Cachoeiro de Itapemirim.

Este vídeo pode te interessar

A Gazeta integra o

Saiba mais

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.