ASSINE

Jovem com necessidades especiais denuncia estupro em Muniz Freire

O suspeito, de 43 anos seria um conhecido da família e o abuso ocorreu enquanto a esposa do homem dormia, na noite da última quarta-feira (26)

Tempo de leitura: 2min
Cachoeiro de Itapemirim / Rede Gazeta
Publicado em 28/01/2022 às 13h22
Servidoras de Cachoeiro são ameaçadas de morte e procuram a polícia
A Polícia Civil de Muniz Freire investiga a denúncia de abuso sexual de uma jovem de 17 anos. Crédito: Cottonbro / Pexels

Uma adolescente com necessidades especiais, de 17 anos, revelou que foi vítima de um estupro no interior de Muniz Freire, no Sul do Espírito Santo. O suspeito seria um conhecido da família e o abuso sofrido enquanto a esposa do homem dormia. O caso ocorreu na noite desta quarta-feira (26) - a necessidade especial da vítima não foi colocada na reportagem para preservar a identidade dela.

Polícia Militar informou que foi chamada pelo conselho tutelar do município. No local, uma conselheira relatou o que a adolescente denunciou. Disse que na noite de quarta-feira ela esteve na casa do homem, de 43, e enquanto a esposa dele dormia, teve relações sexuais com ela.

Depois do abuso, o homem teria dito à vítima para que ela não contasse o que tinha acontecido entre eles. A jovem contou para a conselheira ser comum ela ir na casa do casal quando a esposa do homem está presente, mas  nunca havia passado por abusos anteriormente.

Este vídeo pode te interessar

A adolescente foi levada até o hospital da cidade para os primeiros atendimentos e, encaminhada para exames no Serviço Médico Legal de Cachoeiro de Itapemirim, nesta quinta-feira (27). Os resultados confirmaram o abuso.

Segundo a Polícia Civil, o suspeito foi conduzido até a delegacia de Muniz Freire para que fosse ouvido. Ele negou o crime e foi liberado, pois não estava mais em estado de flagrante. O caso segue em investigação pela Polícia Civil e é acompanhado pelo Conselho Tutelar.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.