ASSINE

Homens armados roubam mais de 100 celulares em loja na Vila Rubim

Boletim de ocorrência registrado na Polícia Militar indica que foram levados 100 aparelhos celulares, 20 tablets e oito notebooks no assalto; suspeitos conseguiram fugir

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 03/03/2021 às 23h15
Viatura da Polícia Militar
Viatura da Polícia Militar . Crédito: Carlos Alberto Silva

Uma loja de produtos eletrodomésticos e eletrônicos na Vila Rubim, região do Centro de Vitória, foi assaltada por homens armados no final da tarde desta quarta-feira (3). Um boletim de ocorrência registrado na delegacia aponta que foram roubados cerca de 100 celulares, 20 tablets e oito notebooks. Funcionários do estabelecimento chegaram a ser feitos reféns.

O boletim de ocorrência registrado na polícia indica que os suspeitos entraram na loja por volta das 17h20, próximo do horário de fechamento do estabelecimento. Cerca de 30 minutos depois, quando estavam no caixa para fecharem uma compra de em torno de R$ 130, anunciaram o assalto. 

Ainda de acordo com o boletim de ocorrência, sete funcionários foram feitos reféns, mas ninguém foi ferido. Outros dois suspeitos esperavam na porta da loja, para dar cobertura aos outros envolvidos no crime. Eles fugiram por volta das 18h20 e não foram localizados. 

O proprietário da loja, Cláudio Sipolatti, alegou que, por conta da quantidade de produtos roubados, acredita que não serão destinados para uso particular. Ele reiterou que confia na capacidade das polícias Militar e Civil para recuperarem o material que foi levado pelos suspeitos. O prejuízo, segundo Cláudio, ainda não foi contabilizado.

Cláudio Sipolatti

Proprietário da loja

"O que a gente precisa é de segurança antes e respostas depois. A polícia tem capacidade e inteligência para rastrear esse roubo. Um roubo desse tamanho não é para utilizar os produtos. A polícia sabe onde vai parar esse tipo de roubo e tem capacidade de recuperar"

O empresário também reforçou  a importância de um trabalho integrado entre as esferas de segurança.

"Nesse momento nós estamos cobrando que utilizem toda a capacidade que eles têm. Temos a Guarda Municipal, as polícias Civil e Militar, há uma necessidade de interação entre eles para dar uma resposta", disse.

INSEGURANÇA NA REGIÃO

No início do mês de fevereiro, uma outra loja de móveis e eletrodomésticos que também fica na Vila Rubim foi assaltada por homens armados, que chegaram a dar coronhadas na gerente do estabelecimento. Cláudio relembrou o ocorrido e ressaltou que situações como essas não podem se tornar corriqueiras, pois os funcionários se sentem ameaçados em trabalhar naquela região.

"Temos 20 empregos nessa loja que estão sendo ameaçados porque as pessoas começam a não querer trabalhar por medo. 15 dias atrás nessa região teve um assalto, então essas equipes se sentem ameaçadas", completou.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.