ASSINE

Planalto Serrano amanhece com segurança reforçada após tiroteio e ameaças à imprensa

No dia seguinte à madrugada e manhã de terça-feira (02), quando região ficou sem circulação de ônibus e com equipes de TV's intimidadas, o bairro teve um reforço no policiamento nesta quarta (03)

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 03/03/2021 às 10h28
Serra
A chefe da Guarda Civil Municipal da Serra, Laís Araújo, esteve presente no bairro Planalto Serrano nesta manhã. Crédito: Reprodução/TV Gazeta

Um dia após moradores serem acordados com o som de uma intensa troca de tiros e ainda equipes de reportagem da TV Gazeta e TV Tribuna serem ameaçadas por traficantes, o bairro Planalto Serrano amanheceu nesta quarta-feira (03) com um reforço na segurança por parte da Guarda Municipal da Serra.

Com a presença física da Guarda no local, a sensação na região era de uma aparente normalidade e tranquilidade, algo que não ocorreu entre a madrugada e o amanhecer desta terça-feira (02). Com medo dos tiros, motoristas não subiam com os coletivos do Transcol para a parte alta de Planalto Serrano, deixando a população local sem opção de transporte público.

Além da Guarda Municipal, a Polícia Militar faz um patrulhamento mais constante, os coletivos circulam sem problemas e o comércio funciona normalmente. A comandante Laís Araújo, da Guarda Civil da Serra, explicou para a reportagem da TV Gazeta as ações desencadeadas no bairro nesta manhã.

"Desde ontem (terça), juntamente com as outras forças de segurança, a Guarda está fazendo um trabalho preventivo no bairro Planalto Serrano e atuando nos Blocos A, B e C, e com um reforço maior do efetivo. Isso para trazer uma sensação de tranquilidade e segurança para o munícipe que está circulando e sai para o trabalho. Ontem recebemos a informação de que os ônibus não estavam circulando e que os comércios estavam fechados. De imediato entramos em contato com a Ceturb e nos dispomos a fazer a segurança e até a escolta para que os moradores de Planalto Serrano tivessem o direito de ir e vir com tranquilidade", destacou.

SEM ACIONAMENTO

A chefe da Guarda salientou que a corporação não foi acionada enquanto ocorria o tiroteio e apenas tomou conhecimento dos fatos somente pela manhã, quando ocorreu o envio de viaturas para Planalto Serrano para atuar na região paralelamente a atuação das polícias.

Coronel Alexandre Ramalho. Secretário de Segurança Pública e Defesa Social do ES
Coronel Alexandre Ramalho. Secretário de Segurança Pública e Defesa Social do ES. Crédito: Vitor Jubini

A presença da Guarda e da Polícia Militar é parte da saturação ordenada pelo secretário de segurança Pública do Estado, coronel Alexandre Ramalho, que lamentou o ataque à imprensa e explicou que os ataques em Planalto Serrano são decorrentes pela intensa disputa pelo comando do tráfico de drogas.

Segurança Pública Serra Polícia Militar planalto serrano serra

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.