ASSINE

Homem se passa por policial civil para furtar casa e é detido em Guaçuí

Como não houve flagrante, o homem de 27 anos responderá, em liberdade, pelos crimes de furto qualificado e falsidade ideológica

Publicado em 16/07/2021 às 18h07
Delegacia de Guaçuí
Delegacia de Guaçuí, para onde homem detido por se passar por policial para furtar casa foi levado. Crédito: Reprodução/ TV Gazeta Sul

Um homem de 27 anos foi detido nesta quinta-feira (15) suspeito de ter passado por policial civil para furtar uma residência em Guaçuí, na Região do Caparaó. Como não houve flagrante, ele responderá, em liberdade, pelos crimes de furto qualificado e falsidade ideológica

Segundo a Polícia Civil, no último domingo (11) o homem foi denunciado de ter usado uma blusa, máscara e "crachá" com identificações da corporação para ir à residência de uma mulher de 55 anos. Ele se identificou como policial, dizendo que precisava utilizar o banheiro da casa, pois estava aguardando a viatura ir buscá-lo.

“A mulher, confiando no rapaz totalmente identificado como policial, deixou que ele adentrasse na sua residência. Porém, após utilizar o banheiro, ele furtou uma quantia em dinheiro que estava no quarto da vítima. A mulher, no dia seguinte, procurou a Delegacia de Guaçuí e descobriu que não havia nenhum policial com o nome que ele havia dito”, conta o titular da Delegacia de Polícia (DP) de Guaçuí, delegado Marcos Nery.

Um boletim de ocorrência foi registrado e, após investigação, o homem foi identificado na manhã da última quarta-feira (14). De acordo com a polícia, ele foi detido na residência de sua namorada, no bairro Antônio Francisco Moreira. No local, os policiais encontraram uma máscara, com o nome "Polícia Civil" escrito. Já a camisa e o "crachá" não foram localizados porque, segundo o investigado, teriam sido jogados no lixo.

O homem foi levado para a Delegacia de Guaçuí, onde prestou declarações e, como não houve flagrante, foi liberado para responder em liberdade.

Ainda de acordo com a autoridade policial, até o momento só se tem registro de uma vítima qdo suspeito. “Destacamos a importância da denúncia anônima. Caso tenha informações, a pessoa pode denunciar pelo Disque-Denúncia 181 ou pelo site disquedenuncia181.es.gov.br. Todas as informações fornecidas serão apuradas”, informou.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.