ASSINE

Homem se apresenta como assessor de investimento e dá golpe de R$ 1,1 milhão

Pelo menos três pessoas caíram no golpe de um homem que se apresentou como assessor de investimentos. O caso é investigado pela Polícia Civil

Publicado em 07/05/2021 às 10h08
Pessoa segurando notas de dinheiro
Pessoa segura notas de dinheiro. Crédito: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Um homem que se apresentava como assessor de investimentos aplicou um golpe e levou pelo menos R$ 1,1 milhão de três pessoas em Vila Velha. O caso está sendo investigado pela Polícia Civil.

Sozinho, um dos investidores aplicou quase R$ 900 mil. Ele disse que o suposto assessor ofereceu rendimentos acima de 2% ao mês, quando as instituições bancárias, para investimentos de alto risco, pagariam somente 1%.

A vítima disse que investigou a empresa. "Como não tinha nenhum processo contra ela, parecia ser uma empresa idônea, eu decidi investir", contou. O morador de Vila Velha pediu para não ter a identidade revelada porque se sente envergonhado.

Morador de Vila Velha

Vítima 

"Ele falou que se eu aplicasse, podendo retirar o dinheiro a qualquer momento, pagaria 2% ao mês. Se eu aplicasse por pelo menos seis meses, pagaria 2.4% ao mês. Quando eu fui nos bancos perguntar quanto pagariam, o máximo, para investimento de risco alto, era 1% "

Segundo a vítima, os depósitos referentes aos rendimentos foram feitos de forma correta durante um ano. Depois disso, o assessor desapareceu. "Durante um ano, depositava corretamente os valores, então eu acreditei que fosse sério".

Quando era cobrado pelos clientes, o golpista respondia que "com a bolsa tendo muita queda, ele teve que aplicar o dinheiro no seguro do Tesouro Nacional e que em julho meu dinheiro estaria de volta. Esperei chegar novembro, vendi minha motocicleta e o dinheiro, nada", revelou a vítima.

Antes de suspeitar que se tratava de um golpe, uma mulher, amiga do primeiro investidor, decidiu aplicar R$ 200 mil com o mesmo empresário. "Eu vi que outras pessoas aplicavam uma quantia muito acima da minha, e estava dando certo, decidi aplicar. Desses R$ 200 mil, não vi cor de nada", desabafou.

Um supervisor administrativo investiu R$ 55 mil e também não teve retorno financeiro nem de contato com o responsável pelas aplicações. "Mandei e-mail, Whatsapp, tentei ligar e ele nunca me atendeu. A não ser quando foi para fazer o investimento inicial. Não respondeu nada desde novembro de 2020", revelou.

Paulo Vitor Novaes é contador e especialista em controladoria e finanças. Na avaliação dele, o mais adequado é procurar uma corretora ou até mesmo uma agência bancária que possa oferecer o serviço com mais segurança. Outra dica é pesquisar sobre a empresa no site da Comissão de Valores Mobiliários (CVM)

"Eu quero colocar esse dinheiro para render alguma coisa. O que devo fazer? O mais adequado é procurar uma corretora, às vezes, até um banco. No site da CVM você consegue encontrar até o nome daquele agente que ofereceu uma oportunidade, se não encontrar, já começa a ligar um alerta. Na verdade, o alerta deve surgir quando você encontrar oferta de retornos altos", disse.

A orientação da polícia é que as pessoas sempre desconfiem de promessas de rendimentos fáceis, rápidos e altos. O caso está sendo investigado por uma equipe da Divisão Especializada de Repressão aos Crimes Contra o Patrimônio (DRCCP).

Com informações de Naiara Arpini, da TV Gazeta

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.