ASSINE

Homem morre após espancar a namorada e bater na vizinha em Viana

As agressões só terminaram depois que ele recebeu um golpe conhecido como "mata-leão". A causa da morte do agressor é investigada pela polícia

Publicado em 15/01/2021 às 09h27
Atualizado em 15/01/2021 às 13h16
Viatura da Polícia Civil do Estado do Espírito Santo
Viatura da Polícia Civil do Estado do Espírito Santo. Crédito: Carlos Alberto Silva

Um homem de 28 anos morreu após agredir a namorada e a vizinha, na madrugada desta sexta-feira (15), no bairro Marcílio de Noronha, em Viana. As agressões só terminaram depois que ele recebeu um golpe conhecido como "mata-leão". Mas a polícia ainda não sabe dizer se ele morreu por conta do golpe que recebeu ou pelo uso excessivo de drogas.

De acordo com informações apuradas pela reportagem da TV Gazeta, o homem, identificado como Altair Kelvin Bernardes, 28 anos, passou horas consumindo drogas e agrediu a namorada, de 21 anos, com socos. Ele chegou a ameaçá-la de morte com uma faca. 

Por volta das 2 horas da manhã desta sexta (15), a mulher, em uma atitude desesperada, pulou a janela de casa para pedir ajuda. Ela foi buscar socorro na residência de uma vizinha, uma senhora, de 77 anos, que mora com o neto no andar de cima. O homem, que já tinha agredido a companheira, começou a bater também na idosa.

A idosa contou à reportagem da TV Gazeta que inicialmente ouviu os gritos e pedidos de socorro da mulher. De repente, a moça bateu na porta da casa dela, entrou correndo e se escondeu em um quarto. Quando a senhora ia fechar a porta da casa, o homem invadiu a residência e começou a agredir a idosa.

NETO SALVOU A AVÓ

 O neto da idosa, de 20 anos, acordou com o barulho, viu a avó sendo agredida e foi defendê-la. Para salvar a avó, o jovem deu um golpe conhecido como "mata-leão" no pescoço do homem. Logo depois, o agressor começou a passar mal e morreu.

Muito assustado, o rapaz afirmou à reportagem da TV Gazeta que não tinha a intenção de matar o homem, ele apenas queria que Altair soltasse a avó dele. Ele contou aos policiais que ligou para a polícia e o Samu, mas quando o socorro chegou, Altair já havia morrido. 

AGRESSÕES

A família da mulher, de 21 anos, contou à reportagem da TV Gazeta que  jovem namorava o homem há cerca de 1 ano e meio. Ele já teria agredido e ameaçado a companheira outras vezes.

"Ela me ligou 3 horas da manhã, dizendo que ele bateu nela e tinha morrido. Ele bateu nela, ela pulou a janela e foi para a casa da vizinha. Lá em cima o rapaz segurou ele e ele começou a passar mal. Eu nunca vi, mas ela já tinha dito que ela tinha batido nela outras vezes. No último doming,o busquei a minha neta, de 2 anos, e levei para a minha casa com medo de que algo pudesse acontecer com elas", contou o pai da jovem à reportagem da TV Gazeta.

Na manhã desta sexta (15), a mulher de 21 anos, a idosa de 77 anos e o neto responsável por dar o "mata-leão" ainda prestavam depoimento à polícia. Elas foram encaminhados ao Departamento Médico Legal (DML) para fazer exame de corpo de delito.

O QUE DIZ A FAMÍLIA DE ALTAIR

A família de Altair está chocada. O tio e a avó, que criou Altair como filho, confirmaram que ele era usuário de drogas, mas querem que a morte dele seja investigada. "Seja o que for, eu quero saber o que aconteceu", disse avó do homem morto, Sônia Bernardes.

NETO NÃO FOI AUTUADO

O delegado responsável pelo caso entendeu que não houve crime por parte do jovem, de 20 anos, que aplicou um "mata-leão" em Altair. Para a polícia, ele agiu em legítima defesa por parte de outras pessoas e, por isso, não foi autuado.

Somente após exames será possível determinar a causa da morte do homem. A polícia não descarta a possibilidade dele ter morrido de overdose de drogas ou infarto. 

Atualização

15 de Janeiro de 2021 às 13:12

Após a publicação desta matéria, a reportagem da TV Gazeta conversou com a família do homem morto. A fala deles sobre o caso foi acrescentada no texto. A possibilidade de a causa da morte ter sido um infarto também foi incluída na matéria. Além disso, o neto contou que chamou o Samu e a polícia, mas quando o socorro chegou, Altair já estava morto. 

Com informações da TV Gazeta

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.