ASSINE

"Gritei muito”, diz comerciante agredido em assalto a bar em Colatina

Paulo Rezende Tardin, de 60 anos, levou socos do criminoso, que, mesmo com a vítima caída no chão, ainda usou banco de madeira para agredi-la na quarta-feira (13)

Tempo de leitura: 2min
Colatina
Publicado em 13/05/2022 às 17h48
Paulo Rezende Tardin, de 60 anos, foi agredido com socos e um banco de madeira, durante um assalto em Colatina.
Paulo Rezende Tardin, de 60 anos, foi agredido com socos e um banco de madeira, durante um assalto em Colatina. Crédito: Wando Fagundes

Com ferimentos na cabeça e no rosto, além de escoriações no corpo, o comerciante Paulo Rezende Tardin, de 60 anos, relembra os momentos de terror que viveu na noite da última quarta-feira (11). O idoso foi agredido com socos em um assalto ao bar dele, no bairro São Silvano, em Colatina, no Noroeste do Espírito Santo. Imagens divulgadas pela Polícia Militar registraram toda a ação do criminoso, que, mesmo com a vítima no chão, chegou a agredi-la usando um banco.

“Em momento nenhum ele anunciou que era um assalto. Ele já chegou me agredindo, com muita violência. Eu gritei muito, não sabia o que fazer. Não tive outra reação. Foi chegando algumas pessoas, mas ninguém entendia o que estava acontecendo”, contou Paulo em entrevista para o repórter Alessandro Bacheti, da TV Gazeta Noroeste.

A câmera de segurança que registrou o crime foi instalada pelo comerciante para dar mais segurança ao estabelecimento, mas não intimidou o criminoso. Imagens mostram que o suspeito já entra no local agredindo o idoso pelas costas, com socos.

Mesmo após o comerciante cair, o homem segue com as agressões, usando um banco de madeira. Com o idoso ferido no chão, o criminoso pula o balcão do comércio, rouba o dinheiro que estava no caixa e a carteira da vítima, e foge do local.

Paulo Rezende Tardin, de 60 anos, foi agredido com socos e um banco de madeira, durante um assalto em Colatina.
Paulo Rezende Tardin, de 60 anos, foi agredido com socos e um banco de madeira, durante um assalto em Colatina. Crédito: Wando Fagundes

“É muito assustador. Nunca tivemos algo parecido. Eu espero que tenhamos uma proximidade maior com a polícia", afirmou o filho do comerciante, André Oliveira Tardin.

Para a reportagem da TV Gazeta Noroeste, a Polícia Militar informou que conseguiu identificar o suspeito pelas imagens registradas pela câmera, e que o mesmo indivíduo teria realizado outro assalto a uma padaria da região. A corporação disse que fez buscas na região logo após o crime, mas o criminoso não foi localizado.

Por nota, a PM destacou que o policiamento na localidade é realizado por equipes de rondas diárias, além da Força Tática. No local, também há uma Base Comunitária que reforça as ações de segurança na região.

"O policiamento foi intensificado na região e a PM solicita que a comunidade auxilie o trabalho da polícia denunciando indivíduos que agem na região por meio do Disque-Denúncia (181). Em casos de ocorrências em andamento ou que acabaram que acontecer, uma viatura deve ser acionada através do Ciodes (190)", finalizou.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.