ASSINE

Dono de loja de celular estava com a arma roubada de inspetor no ES

Segundo a polícia, o comerciante tentou vender a arma para traficantes. Inspetor penitenciário Rodrigo Figueiredo da Rosa foi baleado durante um assalto no Morro do Moreno, em Vila Velha, no domingo (10)

Vitória
Publicado em 13/01/2021 às 15h45
Atualizado em 13/01/2021 às 23h56
Pistola .40 que foi roubada de agente penitenciário e revólver calibre 32 usado no crime, no Morro do Moreno
Pistola .40 que foi roubada de agente penitenciário e revólver calibre 32 usado no crime. Crédito: Divulgação / Polícia Civil

A arma que foi roubada do agente penitenciário Rodrigo Figueiredo da Rosa, durante uma tentativa de latrocínio no último domingo (10), no Morro do Moreno, em Vila Velha, foi encontrada pela polícia com um comerciante. O homem, de 28 anos, é proprietário de uma loja de celulares e foi preso pela polícia em Porto Novo, Cariacica.

De acordo com o titular da Delegacia Especializada em Crimes Contra Estabelecimentos Comerciais (DECCE), delegado Gabriel Monteiro, a polícia chegou até o homem na manhã desta terça-feira (12), depois de receber uma denúncia. No momento da abordagem, o homem tentava vender a arma por R$ 10 mil para traficantes.

"Ontem (terça) de manhã recebemos uma informação importante que corroborou com as nossas investigações. Conseguimos pegar o receptador da pistola do agente da Sejus. Era um comerciante e criminoso. No momento da abordagem, ele estava negociando essa arma com traficantes da região de Cariacica. Quando abordamos ele, o traficante tentou esboçar reação de sacar uma arma, foi necessário alguns disparos, mas o traficante estava de moto e conseguiu fugir", contou o delegado.

O comerciante teria adquirido a arma por R$ 9 mil, após comprá-la de um homem que conhecia os dois bandidos responsáveis pelo crime no Morro do Moreno. Mas embora tenha sido preso enquanto tentava vender a arma, uma pistola .40, o comerciante pagou fiança e foi liberado.

"Mais uma vez a legislação não nos ajuda. O indivíduo que recepciona essa arma, quando ele é pego pela Polícia Civil, ele paga uma fiança, porque assim é permitido pela Justiça, e vai responder em liberdade. Esperamos que pelo menos esses indivíduos que atentaram contra a vida do agente fiquem um bom tempo afastado da sociedade. Porque são perigosos, covardes", criticou o secretário de Estado da Segurança Pública, Alexandre Ramalho.

POLÍCIA FICOU DE CAMPANA POR MAIS DE 5 HORAS PARA PRENDER CRIMINOSOS

 Para chegar até os criminosos responsáveis pelo crime no Morro do Moreno, a polícia contou com a ajuda de quatro pessoas que tiveram os celulares roubados no Morro do Moreno, no sábado (09), um dia antes do agente penitenciário também ser vítima de criminosos. Foi pela localização dos celulares dessas pessoas, que a polícia conseguiu encontrar e prender Pedro Henrique Gomes Oliveira, de 20 anos e Thiago Francisco Cristo, de 18 anos.

"Na segunda-feira, pesquisamos se no dia anterior ao crime houve roubo na região do Morro do Moreno e detectamos que tiverem quatro vítimas assaltadas no mesmo modo que os autores do crime agiram no domingo. Vinculamos o fato do dia 9 como possibilidade de ter sido praticado pelos mesmos autores do crime do dia 10. Chamamos as vítimas do dia 9 que tiveram os celulares roubados, que deram as descrições dos autores e nos forneceram a localização do celular, pelo qual pudemos precisar o perímetro de atuação da polícia", explicou o delegado Gianno Trindade, titular da Delegacia de Segurança Patrimonial.

Pedro Henrique Gomes Oliveira, 20 anos (à esquerda) e Thiago Francisco Cristo, de 18 anos, presos pelo crime no Morro do Moreno
Pedro Henrique Gomes Oliveira, 20 anos (à esquerda) e Thiago Francisco Cristo, de 18 anos foram presos pelo crime praticado contra um agente penitenciário no Morro do Moreno. Crédito: Reprodução / TV Gazeta

Com a localização definida, os policiais chegaram a ficar de campana por mais de cinco horas até conseguirem prender os bandidos. Pedro Henrique e Thiago foram presos por volta das 20 horas desta terça-feira (12), no bairro Santa Bárbara, em Cariacica. Ao ser abordado pelos policiais, Pedro Henrique Gomes Oliveira, de 20 anos, assumiu a autoria do disparo que atingiu o agente penitenciário. 

Gianno Trindade 

Delegado titular da Delegacia de Segurança Patrimonial

"Na delegacia, nos interrogatórios formais, ambos confessam o crime. Sendo que Pedro Henrique é o indivíduo que efetuou os disparos. Thiago, o comparsa de 18 anos, também confessou o crime. Uma testemunha que estava no Morro do Moreno junto com o agente esteve na delegacia e reconheceu os dois criminosos, inclusive apontou o atirador"

ARMA USADA NO CRIME ESTAVA ESCONDIDA EM COLCHÃO

Além de assumir a autoria dos disparos, Pedro Henrique Gomes Oliveira, de 20 anos, também revelou à polícia onde estava a arma utilizada o crime. O revólver calibre 32 foi escondido no terceiro andar de uma casa abandonada, no bairro Alvorada, em Vila Velha. A arma estava dentro de um colchão. 

Em audiência de custódia, a prisão de Pedro Henrique Gomes Oliveira, 20 anos, e Thiago Francisco Cristo, de 18 anos foi convertida em preventiva pela Justiça. Eles vão responder por tentativa de latrocínio, com lesão corporal de natureza grave. A pena é de 7 a 18 anos. Mas também vão responder por roubo e emprego da arma no crime, o que pode aumentar o tempo deles na prisão.

"Latrocínio não necessariamente precisa ser praticado com arma de fogo, é a violência que caracteriza o crime. Com o agravante da arma, esperamos que eles venham a ser apenados na ordem de 20 a 30 anos, somando todas as penas de todos os crimes", afirmou o delegado-geral da Polícia Civil, José Darcy Arruda.

Inspetor penitenciário foi baleado no Morro do Moreno
Rodrigo Figueiredo da Rosa foi baleado no domingo (10). Crédito: Internauta

O CRIME

De acordo com a polícia, o agente estava armado com uma pistola .40 e foi revistado por um dos bandidos assim que eles anunciaram o assalto. Rodrigo teria tentado sacar a arma, mas acabou a tingido por um disparo pelas costas.

"Ele (Rodrigo) estava armado com uma pistola .40 da Secretaria de Justiça e os indivíduos com um revólver calibre 32. No momento em que ele é abordado, automaticamente um deles inicia a revista no agente. Ele tenta sacar a arma dele e, naquele momento, o indivíduo que está armado atira. Roubam a arma do agente e descem o morro largando o agente ferido para trás", descreveu o secretário de Estado da Segurança Pública, Alexandre Ramalho.

Rodrigo foi socorrido e levado para o Hospital de Urgência e Emergência, em Vitória, onde permanece internado na UTI, em estado grave, porém estável. Ele perdeu o movimento das pernas.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.