ASSINE
Oferecimento:
Modo de Visualização:

Criminosos fazem reféns em fábrica e funcionário é baleado em Vila Velha

Além do dono da fábrica de gesso — que fica na região do Xuri — e do filho dele, no momento do assalto cerca de 20 funcionários estavam no local. Um deles ficou foi baleado no braço quando os suspeitos efetuaram disparos

Publicado em 29/07/2021 às 12h44
  • Do G1/ES

ábrica de gesso invadida nesta quarta-feira (28) na região do Xuri, em Vila Velha
ábrica de gesso invadida nesta quarta-feira (28) na região do Xuri, em Vila Velha. Crédito: Reprodução/TV Gazeta

Três criminosos invadiram uma fábrica de gesso na região do Xuri, em Vila Velha, na tarde desta quarta-feira (28), e fizeram os donos e os funcionários reféns. Assim que entraram no local, dois criminosos abordaram o dono que estava no pátio com um funcionário e o terceiro suspeito rendeu o filho dele, que estava no refeitório.

Cerca de 20 funcionários estavam na fábrica no momento. Os homens fizeram cerca de 10 disparos, que atingiram um funcionário de 36 anos no braço e também um veículo. Um vídeo de câmeras de segurança mostram o momento em que os tiros foram efetuados.

Criminosos invadem fábrica e fazem reféns em Vila Velha

O empresário de 66 anos e o filho dele, de 36, reagiram ao assalto e conseguiram fugir. "Na hora você só pensa em se salvar. Você está desprotegido. A gente pensa em correr e salvar a vida", contou o idoso à reportagem da TV Gazeta.

O filho se machucou no abdômen ao lutar com um deles para tentar fugir e o pai dele ralou os joelhos ao correr dos criminosos. Os assaltantes fugiram, levando uma mochila que tiraram do carro do filho do empresário.

Essa é a quarta vez que a fábrica é assaltada neste ano. Depois do prejuízo, eles contaram que se sentem abandonados e reclamam do policiamento no Xuri. De acordo com eles, a segurança não está acompanhado o crescimento da região.

Em nota, a Polícia Militar informou que realiza policiamento ostensivo diariamente em todo o bairro. "Além do patrulhamento preventivo, são desenvolvidas constantes ações de cercos táticos e abordagens na região. A Polícia Militar lembra que está sempre a disposição da comunidade para debater as ações de segurança desenvolvidas no local e buscar adequar da melhor maneira possível", diz trecho da nota.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.