ASSINE

Como vídeo enviado por menina a amiga nos EUA ajudou a prender acusado de estupro no ES

Iniciativa da adolescente de 12 anos, vítima do acusado, começou a mudar a rotina de crime que, segundo a polícia, já durava há dois anos

Publicado em 13/09/2021 às 12h16
Entrevista concedida na sede da Polícia Federal no Espírito Santo nesta segunda-feira (13)
Agentes da Polícia Federal e Polícia Civil falaram sobre o caso em entrevista concedida na sede da Polícia Federal no Espírito Santo nesta segunda-feira (13). Crédito: Kaique Dias

A Polícia Federal e a Polícia Civil do Espírito Santo prenderam um homem acusado de estuprar duas meninas nos Estados Unidos. O crime estaria sendo cometido há pelo menos dois anos, mas, somente no último mês de maio, os familiares e as autoridades tiveram ciência dos fatos. Isso aconteceu depois de uma das vítimas, uma adolescente de 12 anos, enviar um vídeo feito por ela para uma amiga. O preso é brasileiro e não teve o nome divulgado por ser parente das vítimas.

Em entrevista coletiva realizada nesta segunda-feira (13), o titular da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) da Polícia Civil, Diego Bermond, explicou como o vídeo fez com que a família descobrisse e as autoridades chegassem até o acusado.

“No dia 27 de maio, uma das vítimas, a adolescente de 12 anos, se trancou no banheiro porque havia investidas do indivíduo em desfavor da adolescente. Então, ela se trancou no banheiro e gravou essas investidas. Depois, ela apresentou esse vídeo para uma amiga e, logo após, foi noticiado para a mãe esses fatos. Logo em seguida, a mãe confrontou o estuprador, e conseguiu constatar que esses crimes aconteciam há pelo menos dois anos”, disse.

Segundo o delegado, a menina teve a iniciativa de gravar o vídeo quando sofria as investidas do acusado, que a estava molestando.

“Ela se trancou no banheiro porque já estava sendo molestada. Depois, ele tentou fazer com que ela abrisse a porta, tentou fazer com que ela tirasse foto das partes íntimas dela e enviasse para o celular dele. Logo depois, ela abriu a porta e ele continuou molestando essa adolescente. No final do dia, ela acabou noticiando os fatos para uma amiga, inclusive enviando o vídeo para essa amiga. Essa amiga tomou providências, informou para a mãe”, contou.

ACESSÓRIO SEXUAL E VÍDEOS EM COMPUTADOR

Após o ocorrido, as autoridades americanas foram até a casa onde o homem vivia e lá encontraram mais elementos durante as investigações. Entre eles, um acessório sexual e vídeos de pornografia infantil no computador do acusado.

“Logo após a notícia desses fatos, a polícia americana foi na casa dele e encontrou um acessório sexual, que batia com as mesmas características que as vítimas tinham falado que ele utilizava para abusá-las. E, além disso, foi encontrado no laptop dele, apreendido pela polícia americana, 164 vídeos que caracterizam crime na legislação penal”, informou.

O delegado afirmou que a Polícia Civil do Espírito Santo aguarda o envio destas provas para incluir no inquérito já aberto para investigar os crimes. Enquanto isso, o acusado deve continuar preso.

“A Polícia Civil está esperando o compartilhamento das provas produzidas nos Estados Unidos. Nós temos ali a entrevista da vítima, da mãe das vítimas, a tradução desses documentos. Nós representamos por 30 dias a prisão e vamos pedir a prorrogação dessa prisão que é o tempo hábil e suficiente para que a gente receba esses elementos e, posteriormente, a Justiça tenha todos os elementos necessários para a condenação desse indivíduo”, ressaltou.

Em uma entrevista por telefone para um programa dos Estados Unidos, o homem negou as acusações.

HOMEM SABIA QUE ESTAVA SENDO PROCURADO E FUGIU

De acordo com o Superintendente da Polícia Federal no Espírito Santo, Eugênio Ricas, o homem sabia que estava sendo procurado nos Estados Unidos. E, sabendo também da dura legislação americana, ele fugiu do país pela fronteira com o México, para evitar ser preso em um aeroporto.

“Ele sabia que já estava sendo procurado pelas autoridades americanas. Então, fugiu pela fronteira com o México. Porque sabia que em um aeroporto poderia ser preso e, aí, certamente, passaria a vida inteira atrás das grades. No México, ele pegou um avião e veio para o Brasil. Mas as autoridades americanas compartilharam essas informações com a Polícia Federal e o resultado, em um tempo muito rápido, é ele estar atrás das grades e, provavelmente, vai passar muito tempo da vida atrás das grades”, afirmou.

O superintendente explicou que, além de prisão perpétua, nos Estados Unidos, ele ainda teria de pagar uma multa de 200 mil dólares. “A gente sabe que a legislação americana é muito mais dura. Prevê, inclusive, a prisão perpétua e uma multa de 200 mil dólares para esse tipo de crime. Aqui no Brasil a pena também é severa. Ele pode pegar 30 anos de cadeia, até mais. Mas a Justiça nos Estados Unidos e a pena o intimidaram, o que acabou fazendo com que ele viesse para o Brasil”, destacou.

Polícia Federal e Polícia Civil deflagram a Operação Dead End e prendem foragido internacional acusado de abuso sexual contra crianças nos Estados Unidos
Polícia Federal e Polícia Civil deflagram a Operação Dead End e prendem foragido internacional acusado de abuso sexual contra crianças nos Estados Unidos . Crédito: Divulgação/Polícia Federal

Eugênio Ricas falou ainda que o homem deve responder pelos crimes apenas no Brasil, já que por ser brasileiro nato, não pode ser extraditado. “Ele não pode ser extraditado. Ele é brasileiro nato. Apesar de ter praticado esse crime nos Estados Unidos, ele vai ter que responder esse crime no Brasil”, completou.

A OPERAÇÃO

Polícia Federal e Polícia Civil deflagram a Operação Dead End e prendem foragido internacional acusado de abuso sexual contra crianças nos Estados Unidos
Polícia Federal e Polícia Civil deflagram a Operação Dead End e prendem foragido internacional acusado de abuso sexual contra crianças nos Estados Unidos . Crédito: Divulgação/Polícia Federal

Um homem de 44 anos foi preso no Espírito Santo acusado de estuprar duas crianças nos Estados Unidos. A prisão aconteceu na Operação Dead End, deflagrada por agentes da Polícia Federal e da Polícia Civil do Espírito Santo na última sexta-feira (10). De acordo com informações obtidas pela TV Gazeta, o homem foi localizado nos fundos de uma casa, em que estava morando com a esposa e com a filha, em Cariacica.

Segundo as investigações, o crime foi praticado reiteradamente por dois anos. As vítimas são duas meninas, de 8 e 12 anos. Ainda de acordo com a apuração da TV Gazeta, o homem acusado de estupro morava na casa delas no estado americano de Nova Jersey, nos Estados Unidos, porque é primo dos pais das crianças.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.