ASSINE

Caso de mulher encontrada morta em praia de Anchieta ainda é mistério

Certidão de óbito informa "asfixia/afogamento", mas Polícia Civil diz que causa da morte ainda não foi revelada e que caso segue em investigação

Publicado em 21/10/2020 às 15h13
Atualizado em 21/10/2020 às 15h16
Luciana Antonini, 59 anos, foi encontrada morta na areia da Praia de Castelhanos. Crédito:  Redes sociais
Luciana Antonini, 59 anos, foi encontrada morta na areia da Praia de Castelhanos. Crédito:  Redes sociais

A mulher encontrada morta na praia de Castelhanos, em Anchieta, Litoral Sul do Espírito Santo, foi identificada como Luciana Antonini, de 59 anos. De acordo com o tio da vítima, Ronaldo Câmara, Luciana era socióloga, ambientalista e ativista. Embora a certidão de óbito dela aponte "asfixia/afogamento" como causa da morte, a Polícia Civil informou que o caso ainda é investigado.

Luciana era natural do Rio de Janeiro, divorciada e não tinha filhos. Segundo Ronaldo, ele recebeu informações de que a sobrinha estava na noite de sexta (16) com amigos em um bar e, após o encontro, decidiu mergulhar.

“Acredito que, como o mar estava de ressaca, possa ter batido a cabeça em algo e acabado se afogando. Havia um corte na cabeça de três centímetros. Foi um susto receber a notícia. Uma fatalidade”, afirmou.

Certidão de óbito de Luciana Antonini, mulher encontrada morta na praia de Castelhanos, em Anchieta, Litoral Sul do Espírito Santo
Certidão de óbito de Luciana Antonini, mulher encontrada morta na praia de Castelhanos. Crédito: Imagem cedida por familiares

O corpo de Luciana foi encontrado na areia da Praia de Castelhanos na manhã do último sábado (17). Câmera de segurança de uma residência flagrou o momento em que o corpo da mulher é jogado pelas ondas na areia.

Ronaldo Câmara

Tio de Luciana

"Luciana era moradora do mundo, morou em vários locais do país e do globo. Era socióloga, ambientalista, ativista. Tinha alma cigana. Era muito doce e querida por todos"

O corpo de Luciana passou por necropsia no Serviço Médico Legal de Cachoeiro de Itapemirim. Apesar da informação da família sobre a causa da morte que constaria na certidão de óbito, a Polícia Civil enviou nota à reportagem afirmando que diligências estão em andamento na Delegacia Regional de Anchieta e que a causa da morte não havia sido confirmada, o que eleva o tom de mistério sobre o caso.

O corpo de Luciana foi sepultado no cemitério municipal do bairro Aeroporto, em Cachoeiro de Itapemirim, no último domingo (18). 

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.