Aracruz registra menor número de assassinatos dos últimos 22 anos

Segundo a Polícia Civil, de janeiro a junho deste ano foram registrados cinco homicídios – 77% menos do que no mesmo período do ano passado, quando foram contabilizados 22 assassinatos

Publicado em 02/07/2020 às 13h33
24/03/20 - Novo decreto determina suspensão do transporte municipal em Aracruz
De janeiro a junho deste ano foram registrados cinco homicídios, 77% a menos que no mesmo período de 2019. Crédito: Prefeitura de Aracruz

O município de Aracruz, na Região Norte do Espírito Santo, registrou uma queda no número de homicídios. Segundo a Polícia Civil, foi o menor número de assassinatos no período de janeiro a junho dos últimos 22 anos.

De acordo com a Polícia Civil, de janeiro a junho deste ano foram registrados cinco homicídios no município – 77% menos do que no mesmo período do ano passado, quando foram registrados 22 assassinatos.

Para o titular da Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) de Aracruz, delegado André Jaretta Ardison, a queda na taxa de crimes é positiva e, caso os números se mantenham na mesma proporção, o município pode chegar ao fim do ano com apenas dez casos. “Esse seria o menor índice de homicídios registrado no município desde 1996, quando a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) passou a contabilizar esses dados”, declarou.

Segundo Jaretta, em mais de duas décadas esta é a segunda vez que o município registra índices tão baixos. A última vez foi em 1998, quando foram registrados apenas três homicídios no primeiro semestre. “Cabe destacar que, na época, o município tinha uma população aproximada de 60 mil habitantes, ao passo que atualmente conta com mais de 100 mil, ou seja, quase o dobro. Isso faz com que Aracruz esteja entre os 10 municípios mais populosos do estado”, ressaltou.

O delegado reforçou ainda que a redução no número de homicídios é resultado de um trabalho integrado que está sendo desenvolvido no município de Aracruz. “Esses números são reflexos de um trabalho a longo prazo que, se deve, em especial, a integração das forças de segurança, do judiciário, do Ministério Público e da Prefeitura de Aracruz. Somente um trabalho nesse formato, feito com responsabilidade e exercido por cada instituição pode atingir essa meta”, explicou.

Dos cinco homicídios registrados no primeiro semestre deste ano, quatro já foram elucidados e os autores presos, segundo a Polícia Civil. O delegado André Jaretta reforçou que apenas um caso ainda está em fase de investigação.

CERCO ELETRÔNICO

A Polícia Civil ressaltou ainda a contribuição da Prefeitura de Aracruz para a redução dos índices de homicídios. O cerco eletrônico implantado na cidade auxilia nos trabalhos de investigação e identificação dos criminosos.

“O cerco eletrônico e as câmeras de videomonitoramento são ferramentas primordiais que nos ajudam na elucidação dos crimes. Com a ajuda de todos esses atores, continuaremos nos empenhando para a manutenção desses excelentes resultados na segurança pública, concedendo aos munícipes um ambiente de paz e tranquilidade compatível com o espírito calmo e ordeiro da população local”, concluiu o delegado.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.