ASSINE

Morre Mestre Tião Batera, figura importante do carnaval capixaba

Um dos fundadores da escola de samba Chegou o Que Faltava e membro da Unidos de Jucutuquara, Sebastião Costa Pereira morreu de Covid-19 nesta terça-feira (1) em Vitória

Vitória
Publicado em 01/12/2020 às 17h39
Tião da Batera faleceu nesta terça-feira (1), vítima da Covid-19
Tião da Batera faleceu nesta terça-feira (1), vítima da Covid-19. Crédito: Arquivo Pessoal

Um dos fundadores da Escola de Samba Chegou o Que Faltava e membro da Velha Guarda da agremiação Unidos de Jucutuquara, Sebastião Costa Pereira, conhecido como  Mestre Tião Batera, morreu nesta terça-feira (1), vítima da Covid-19, aos 74 anos. Ele era morador do bairro Maruípe, em Vitória, mas, por conta das complicações da doença, estava internado em um hospital particular da Capital.

Sebastião participou da fundação da Chegou o Que Faltava em 1975, no bairro Goiabeiras, na Capital. O atual presidente da escola de samba, Rafael Cavalieri, lamentou a morte de Mestre Tião e o classificou como uma pessoa exemplar e que sempre tentava ajudar os mais jovens.

Tião da Batera faleceu nesta terça-feira (1), vítima da Covid-19
Tião da Batera faleceu nesta terça-feira (1), vítima da Covid-19. Crédito: Arquivo Pessoal

"Ele é um exemplo de pessoa, de ser humano, de humildade e de carisma. Sempre aconselhando os mais novos, um amigo e um paizão para nós. Um ídolo não morre, vira lenda, e é isso que resume nosso amigo Tião; uma lenda, que vai deixar saudades", disse.

Rafael ainda afirmou que pretendia colocar Tião à frente da bateria da escola de samba no desfile do Carnaval de Vitória deste ano de 2020, mas, por conta do horário do desfile da escola, muito tarde para o mestre já idoso, não foi possível. O corpo de Tião foi sepultado às 17h desta terça-feira (1), no cemitério Jardim da Paz, na Serra.

Tião abraçando seu filho, Leandro
O filho de Sebastião, Leandro, é compositor. Crédito: Arquivo Pessoal

ESCOLAS DE SAMBA PRESTAM HOMENAGEM

As escolas de samba do Carnaval de Vitória prestaram homenagens para Tião após o falecimento. A Unidos da Jucutuquara, agremiação da qual ele fazia parte da Velha Guarda, fez uma publicação relembrando que Tião morreu no dia seguinte ao Dia do Ritmista, comemorado em 30 de novembro.

Outra tradicional escola de samba da Capital, a Unidos da Piedade também homenageou Tião Batera, afirmando que a alegria do carnavalesco ficará na memória dos integrantes da agremiação.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.