ASSINE

Prefeitura de Salvador suspende Carnaval de rua em fevereiro de 2021

O prefeito ACM Neto (DEM) afirmou que a realização do evento no próximo ano está condicionada a existência de uma vacina contra a Covid-19 -segura

Publicado em 27/11/2020 às 15h48
Atualizado em 27/11/2020 às 15h59
Carnaval de Salvador 2020 arrastou multidão no circuito Barra - Ondina
Carnaval de Salvador 2020 arrastou multidão no circuito Barra - Ondina. Crédito: Divulgação | Prefeitura de Salvador

A Prefeitura de Salvador confirmou nesta sexta-feira (27) que o Carnaval não acontecerá em fevereiro de 2021 em razão da pandemia do novo coronavírus. Ainda não há perspectiva de definição de uma data para a realização da festa ainda no próximo ano.

O prefeito de Salvador ACM Neto (DEM) afirmou que a realização do Carnaval no próximo ano está condicionada a existência de uma vacina contra a Covid-19 -segura e que imunize toda a população.

"Ninguém pode estabelecer uma data. Ninguém é louco de prever o Carnaval sem a segurança de uma vacina que imunize toda a população", disse o prefeito. Ele afirmou ter tomado a decisão em conjunto com o prefeito eleito Bruno Reis (DEM), que governará a cidade a partir de 2021.

O prefeito ainda afirmou que, caso haja a possibilidade de realização da festa após a imunização da população, a data seja definida em conjunto com outros polos carnavalescos do país como Rio de Janeiro, Recife, Olinda e São Paulo.

VEJA O ANÚNCIO DO PREFEITO:

Em São Paulo, o Carnaval de rua e do sambódromo de 2021 foi suspenso ainda em junho deste ano. Em setembro, o Rio de Janeiro tomou decisão semelhante e suspendeu a festa. Recife e Olinda ainda definirão sobre a realização ou não da festa em fevereiro.

BAQUE NA ECONOMIA

A suspensão do Carnaval representará um baque na economia de Salvador. A prefeitura estima que a festa movimente cerca de R$ 1,8 bilhão na capital soteropolitana, com a geração de cerca de 200 mil postos de trabalho.

"É um duro golpe para nossa cidade", afirmou o prefeito, lembrando que várias cadeias produtivas funcionam o ano inteiro em função da festa.

Além do Carnaval, a prefeitura também informou que não serão realizadas as demais festas que tradicionalmente acontecem no verão baiano, como a Lavagem do Bonfim e a Festa de Yemanjá.

O Festival da Virada, que vinha acontecendo nos últimos anos em Salvador em um formato com cinco dias de festa, incluindo a noite de Réveillon, também está suspenso.

Para marcar a virada do ano, a prefeitura vai realizar uma live no Forte de São Marcelo, que fica na baía de Todos-os-Santos com a participação de Gustavo Lima e Ivete Sangalo. Os cachês dos artistas serão bancados por patrocinadores.

Ao mesmo tempo em que confirmou a suspensão do Carnaval, a prefeitura anunciou novas medidas de enfrentamento da pandemia da Covid-19. A ocupação de leitos públicos de UTI para tratamento da doença cresceu nas últimas semanas e chegou a 65%.

A prefeitura pedirá autorização da Câmara Municipal para reabrir novos leitos que haviam sido desativados e intensificará ações de prevenção como distribuição de máscaras e isolamento dos pacientes contaminados.

Por enquanto, não há perspectiva de novas medidas restritivas como o fechamento do comércio, bares, restaurantes ou praias.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Bahia Carnaval Ministério da Saúde bahia Carnaval de Salvador Pandemia

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.