ASSINE

Homem é morto por PM após agredir a avó e quebrar tijolo na cabeça da tia

O  suspeito agrediu as familiares e ameaçou os policiais militares com facas antes de ser baleado

Publicado em 01/05/2020 às 18h04
Atualizado em 23/06/2020 às 14h07
Data: 19/11/2019 - ES - Vitória - Viaturas da Polícia Militar do ES - Editoria: Cidades - Foto: Fernando Madeira - GZ
Viaturas da Polícia Militar do ES . Crédito: Fernando Madeira

Um homem de 31 anos morreu após ser atingindo por um disparo de um policial militar.  A PM foi acionada após o suspeito agredir a avó, de 90 anos, e a tia dele, 60 anos, na tarde de quinta-feira (30), em Linhares, Norte do Estado.  O acusado chegou a quebrar um tijolo na cabeça da tia. 

De acordo com a Polícia Militar,  uma equipe de policiais foi até a casa onde moram as vítimas e identificaram o suspeito, de 31 anos. Ele quebrou objetos dentro de casa e bateu na avó que tentou impedi-lo. A tia  interviu na situação  e foi atingida por um tijolo na cabeça, além de chutes pelo corpo depois que  caiu no chão. 

O Corpo de Bombeiros foi chamado para levar a  idosa de 90 anos e a tia do acusado para o hospital.  A avó teve o braço esquerdo quebrado e precisou ser imobilizado.  Já a tia precisou permanecer internada por causa das lesões graves. 

DETENÇÃO

Ao receber voz de prisão, o suspeito disse estar armado e correu para o interior da residência e voltou armado com duas facas e fez ameaças contra os policiais.  

Ele chegou a tentar golpar um dos militares que atendiam à ocorrência, momento em que um dos policiais fez um disparo de contenção. Os próprios PMs socorreram o suspeito para o Hospital Geral de Linhares, onde ele recebeu atendimento médico.  Com ele foi apreendido também uma pistola calibre .40 e mais uma faca na cintura. 

De acordo com a Polícia Civil, o homem não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital. Em nota, a PM informou que todo procedimento desta natureza, confronto com policial militar gera um inquérito policial militar, onde se investiga o que ocorreu. 

Em nota, a PM afirmou que "o policial militar conseguiu proteger a sociedade e fazer com que a agressão a cidadã fosse interrompida".

O homem já possui passagem pela polícia e estava em liberdade condicional.  O caso foi entregue na Delegacia Regional de Linhares.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.