ASSINE

É boato: Colatina não comprou 300 caixões para vítimas de coronavírus

Mensagem que viralizou nas redes sociais fala que 300 urnas foram adquiridas para as vítimas da doença, imagem mostra caminhão cheio. Prefeitura afirma que solicitou  15 caixões para reposição de estoques da Secretaria de Assistência Social

Publicado em 17/04/2020 às 16h11
Atualizado em 17/04/2020 às 16h11
Prefeitura de Colatina não comprou 300 caixões para vítimas do coronavírus
Prefeitura de Colatina não comprou 300 caixões para vítimas do coronavírus. Crédito: Reprodução

Uma mensagem, que circula pelas redes sociais, afirma que a Prefeitura de Colatina, no Noroeste do Espírito Santo, comprou 300 caixões para receber corpos de possíveis vítimas do novo coronavírus. A mensagem é acompanhada de uma foto com um caminhão carregado com várias urnas funerárias. No entanto, o Executivo reconheceu que a imagem é de fato na cidade, mas negou que tenha comprando essa quantidade do produto e que os caixões sejam para vítimas da doença. 

Procurada pela reportagem de A Gazeta, a Prefeitura de Colatina confirmou através da Secretaria de Comunicação que comprou recentemente 15 caixões. Essas urnas fazem parte de um serviço de ajuda funeral oferecido para famílias carentes através da Secretaria de Assistência Social de Colatina.

“A gente tem o benefício eventual de concessão de auxílio funeral. Nós estamos repondo as urnas que estão acabando, que é um procedimento comum. Nós fizemos a solicitação de 15 urnas para reposição de estoque”, explicou a secretária municipal Fernanda Mota.

A secretária confirmou ainda que a foto do caminhão carregado com vários caixões é nas imediações do setor de almoxarifado da Prefeitura de Colatina.

“O caminhão chegou para entregar essas unidade que nós solicitamos, acredito que estava cheio pois estava fazendo entregas em outros locais”, relatou.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.