ASSINE

É falso que criança foi registrada com nome de Alquingel no ES

Montagem circula em grupos de WhatsApp por todo o Brasil. Episódio serve de alerta para a necessidade de checar as informações em redes sociais

Publicado em 24/03/2020 às 15h13
Atualizado em 25/03/2020 às 12h50
Criança com nome de Alquingel? Boato circula pelas redes sociais

Se você chegou até aqui, é bem provável que tenha recebido em algum grupo de WhatsApp ou em qualquer canto das redes sociais a notícia, atribuída a nós, de que uma criança com o nome de Alquingel foi registrada no ES. Tudo em meio à grande onda de consumo de álcool em gel por conta da pandemia de coronavírus. A primeira coisa que precisamos esclarecer é que a informação é falsa. Trata-se de uma montagem usando a marca de A Gazeta. Nenhuma criança foi registrada por aqui com esse nome e não há qualquer notícia no site de A Gazeta sobre isso. 

O episódio serve também como alerta: considerando a quantidade de pessoas que nos procuraram para saber dessa notícia e a quantidade de buscas em nosso site e no Google desde que a montagem começou a circular, será que todo mundo tem o hábito de checar informações desse tipo? E quando se trata de algo mais grave? 

Nós mesmos recebemos essa montagem em grupos de amigos, espalhados por diferentes cidades do Brasil. É realmente de se assustar. 

Dê uma olhada no gráfico abaixo: mostra o volume de buscas no Google sobre "Alquingel" desde o último dia 21, quando a montagem começou a circular.

Interesse por Alquingel em pesquisas do Google
No isolamento, muita gente foi ao Google pesquisar "Alquingel". Crédito: Google Trends

O repórter Giordany Bozzato, cujo nome aparece na montagem como sendo autor da notícia, conta que recebeu a montagem em vários grupos de WhatsApp e foi questionado por amigos sobre a notícia. "Nesse caso foi uma brincadeira, algo claramente com objetivo de zombaria, mas o assunto das montagens é sério. Da mesma forma que foi uma piada, poderia ter sido algo com fins políticos ou para prejudicar alguém". Sim, já presenciamos isso ocorrer. 

Montagem diz que criança foi registrada com nome de Alquingel no ES
A montagem que circula como pólvora pelos grupos de famílias

COMO DESCOBRIR SE É VERDADE? A LAURA ENSINA

Giordany conta, porém,  um fato que enche todos nós de esperança. Ele foi procurado por email por uma estudante de São Paulo chamada Laura Castro. Ela tem 10 anos e está fazendo um trabalho escolar para identificar boatos na internet. Laura ficou surpresa com a repercussão do caso do Alquingel e tomou a decisão certa: buscou se a notícia existe em nosso site e, como não encontrou, pediu ajuda ao pai para acionar diretamente o repórter e checar se a história era verdadeira. Dá uma olhada na mensagem da Laura: 

Olá, tudo bem? Esse e-mail é do meu pai e eu me chamo Laura. Tenho 10 anos e sou estudante do 5º ano, aqui em SP. O meu trabalho é identificar fake news. E chegou para mim a foto abaixo. Confesso que fiquei surpresa e em dúvida. Pesquisei no site da Gazeta, mas não encontrei a matéria, mas encontrei você. Então, eu pergunto: essa foto da matéria que supostamente está assinada por você é fato ou fake? Muito obrigada pela atenção e até mais.

Laura, você acaba de dar um belíssimo exemplo ao mostrar como, em pouquíssimos passos, é possível checar uma informação cuja veracidade é duvidosa. E nós, jornalistas, valorizamos imensamente atividades escolares que ajudem os estudantes a investigar a origem de certas informações, lidar com fake news e desmentir boatos. Não é só papel da imprensa, é de toda a sociedade. Por isso, agradeça a seus professores por nós, ok? 

BOATOS EM TEMPOS DE CORONAVÍRUS

Durante a pandemia de coronavírus (e, logo mais, nas Eleições) é cada vez mais comum recebermos pedido de checagem de informações que circulam pelas redes sociais. É o caso da montagem sobre a suspensão do pagamento de aposentadoria para idosos que forem flagrados na rua durante o período de isolamento. O que parece brincadeira levou pânico a várias pessoas que já estão nervosas por conta do próprio momento. Por isso, todo cuidado é pouco. Na dúvida, procure-nos, seja por email ([email protected] ou acionando diretamente o autor de qualquer reportagem) ou por nosso canal de WhatsApp. Combater a desinformação sempre será uma tarefa importante para todos nós. A Laura, pelo jeito, já percebeu isso!

A Rede Gazeta também emitiu nota condenando o uso indevido da marca de A Gazeta. Confira: 

A Rede Gazeta esclarece que o site A Gazeta jamais publicou a falsa informação de que um bebê foi registrado com o nome de "Alquingel" no Espírito Santo. A imagem que circula em redes sociais e aplicativos de mensagens é uma montagem, e nossa marca foi usada indevidamente. O compromisso com a apuração correta dos fatos e a checagem de dados é uma premissa que move nossos veículos há 91 anos, e lamentamos que a confiabilidade do jornalismo profissional seja posta em xeque por quem vê na pandemia do novo coronavírus a chance de espalhar mentiras.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.