ASSINE

Estudante morta em acidente na Lindenberg iria fazer 20 anos este mês

Familiares de Ramona Bergamini Toledo conversaram com a reportagem de A Gazeta sobre a jovem: "Era uma menina muito boa", diz primo

Publicado em 05/03/2020 às 10h47
Atualizado em 09/03/2020 às 12h19
Ramona Bergamini Toledo, morta em acidente em Vila Velha. Crédito: Reprodução/Facebook
Ramona Bergamini Toledo, morta em acidente em Vila Velha. Crédito: Reprodução/Facebook

Amigos e familiares da jovem Ramona Bergamini Toledo, que completaria 20 anos neste mês, estão arrasados com a perda repentina da estudante. Ela morreu na noite desta quarta-feira (04) após um acidente na Avenida Carlos Lindenberg, em Vila Velha. Além de cursar Fisioterapia, a universitária trabalhava como entregadora de lanches via aplicativo. 

Segundo a tia da jovem, a cabeleireira Katiuscia Sodré da Silva, Ramona gostava de trabalhar para ter o seu próprio dinheiro, para ser independente. Muito abalada com a morte da estudante, ela contou que viu Ramona no mês passado, quando a jovem foi cuidar do cabelo.

Katiuscia Sodré

Tia

"Conversamos muito. Ela era um amor, uma jovem cheia de sonhos. Estava fazendo faculdade de Fisioterapia. Estava gostando tanto! Gostava de animal, de cuidar de bicho. Era tão amorosa. É um sonho que foi tirado"
Ramona gostava de animais. Crédito: Reprodução/Facebook
Ramona gostava de animais. Crédito: Reprodução/Facebook

DOR DO PRIMO

Katiuscia é mãe de um jovem com idade parecida com a de Ramona e lembra que os primos foram criados juntos, o que torna tudo mais difícil nesse momento. "Era uma menina muito boa! Trabalhadora, havia pouco tempo que tinha entrado na faculdade, estava muito feliz com isso. Essa notícia foi algo que pegou todos nós, familiares, de surpresa. Para ser sincero, minha ficha não caiu até agora", afirma o primo Demerson Toledo, de 22 anos, que completa: "Fomos criados como irmãos. Ela vivia na minha casa".

De acordo com a tia, a jovem já estava acostumada a pilotar motos. No momento do acidente, segundo informações da Guarda Municipal de Vila Velha, a estudante estava parada no semáforo quando foi atingida por um veículo que veio da contramão.

Ramona morava com o pai e madrasta em Vila Velha, perto do local do acidente. A tia acredita que o velório aconteça na cidade, já o sepultamento deverá ocorrer em Pancas, Noroeste do Espírito Santo, onde a mãe da jovem mora.

Na página da estudante no Facebook, muitas pessoas postaram mensagens lamentando a morte dela. Na mesma rede social, há a informação da data de aniversário da jovem: 25 de março. 

O ACIDENTE

Universitária morre em acidente em Vila Velha. Crédito: Internauta
Universitária morre em acidente em Vila Velha. Crédito: Internauta

Um grave acidente envolvendo quatro veículos - dois carros, um ônibus do Transcol e uma motocicleta - na Avenida Carlos Lindenberg, na altura do bairro Nossa Senhora da Penha, em Vila Velha, resultou na morte da universitária Ramona Bergamine Toledo, no fim da noite desta quarta-feira (04), segundo informações da Guarda de Trânsito do município.

De acordo com o boletim da Guarda de Trânsito, a vítima era estudante do curso de Fisioterapia da Universidade de Vila Velha (UVV) e conduzia a moto modelo Honda Biz. Ramona estava parada com a motocicleta em um semáforo do cruzamento próximo ao antigo Makro, quando o Ford KA, que seguia em direção ao Centro de Vila Velha, dirigido por Wilker Wailant cruzou a avenida, subiu no canteiro central, invadiu a contramão, atingindo em cheio a moto e também a estudante. Ramona morreu no local. Ela tinha nas costas uma mochila de entrega de comida por aplicativo.

A força do acidente foi tanta que o Ford KA ainda bateu em um Renaut Sandero, dirigido por Maria Aparecida Figueiredo. Com o impacto, o veículo acabou projetado e bateu em ônibus do Sistema Transcol. Os ocupantes do coletivo, assim como o motorista Alexandro Carvalho de Souza, não se feriram. Já a condutora do Sandero foi socorrida pelo Samu com ferimentos leves e encaminhada para um hospital.

O motorista que conduzia o Ford KA, também se feriu após provocar o grave acidente e foi socorrido e internado em um hospital de Vila Velha. O estado de saúde dele, contudo, é desconhecido.

RECUSA AO BAFÔMETRO

 Em nota, a Polícia Militar informou que o motorista do Ford KA se recusou a realizar o teste do bafômetro no local do acidente. Já a Polícia Civil comunicou que a ocorrência ainda está em andamento pelo delegado plantonista de Vila Velha.

O corpo de Romana foi encaminhado para o Departamento Médico Legal (DML) de Vitória, para ser liberado pelos familiares e também ser feito o exame cadavérico, que apontará a causa da morte.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.