ASSINE

Motociclistas são os que mais morrem em acidentes na Grande Vitória

Balanço do Batalhão de Trânsito da Polícia Militar relativo ao ano passado aponta que mais de um terço dos óbitos ocorridos no trânsito na Região Metropolitana do Estado são de condutores de motos. Confira outros números na reportagem

Publicado em 17/04/2020 às 16h47
Atualizado em 17/04/2020 às 16h48
Acidente entre carro e moto em Cocal, Vila Velha
Os motociclistas foram as maiores vítimas do trânsito na Grande Vitória em 2019. Crédito: Giordany Bozzato

As motocicletas são veículos ágeis que propiciam ao condutor uma maior facilidade nos deslocamentos, principalmente nos grandes centros, mas proporcional à agilidade que elas oferecem, estão os números de óbitos dos condutores das mesmas.  Somente em 2019, 25 motociclistas perderam a vida na Grande Vitória, de um total de 66 mortes em acidentes no trânsito

Os números foram divulgados nesta sexta-feira (17) pela Polícia Militar e são provenientes do setor fiscalização do trânsito na Região Metropolitana do Estado. Os municípios nos quais o BPTran atua são VitóriaVila VelhaCariacicaSerra e Viana - os trechos de rodovias federais não entram na contabilidade e são de responsabilidade Polícia Rodoviária Federal.

25 de 66 mortes no trânsito

Pelos dados do BPTran, os óbitos de motociclistas equivalem a mais de um terço do total

Ao todo, 42 condutores de veículos, incluindo as motos, fazem parte da lista de 66 mortes contabilizadas. Desta forma, mais da metade dos óbitos de quem dirigia são de motociclistas. Condutores de automóveis aparecem com 10 mortes e outros 7 eram ciclistas. Os 24 óbitos restantes são provenientes de pedestres atropelados (12) e também passageiros (12) de motos ou outros automóveis.

Isso se deve ao fato de que a via, seja ela urbana ou rodoviária, é um ambiente mais hostil para a motocicleta do que para o automóvel. Além disso, a moto expõe mais a risco o condutor. A imprudência, o desrespeito às normas de circulação e conduta, são fatores que levam ao acidente de trânsito e aumentam consideravelmente as estatísticas de mortos e feridos no trânsito.

Ao todo, em 2019, a Grande Vitória contabilizou 18.534 acidentes de trânsito, sendo que 5.324 resultaram em pessoas com algum tipo de ferimento. Já 13.210 das colisões não registraram vítimas. O município de Vila Velha foi o que mais registrou acidentes com mortes no trânsito. Ao todo, 18 colisões na cidade canela verde resultaram em óbitos. Na sequência aparecem a Serra, com 17 acidentes fatais, e Cariacica, com 16. Na capital Vitória, 11 acidentes resultaram em mortes. Já em Viana, apenas 1 terminou com vítima, como mostra o gráfico abaixo.

66 óbitos foram registrados na Grande Vitória em 63 acidentes de trânsito na área de atuação do BPTran em 2019
66 óbitos foram registrados na Grande Vitória em 63 acidentes de trânsito na área de atuação do BPTran em 2019. Crédito: Divulgação/BPTran

HOMENS SÃO OS QUE MAIS MORREM

O trânsito na Região Metropolitana foi ainda mais letal para os homens. Das 66 pessoas que perderam a vida, 58 vítimas eram do sexo masculino, percentualmente correspondendo a 88% dos óbitos. Apenas 6 mulheres, (12%)  morreram no trânsito dessas cidades no ano passado.

58 mortes

Dos 66 óbitos registrados na Grande Vitória em 2019, 58 foram do sexo masculino

Na análise das mortes contabilizadas pela Subseção de Ocorrências do BPTran também foi analisado a faixa etária das vítimas: 41% delas tinham entre 20 e 30 anos. O perfil delas é de jovens economicamente ativos, que acabaram de obter a carteira de habilitação ou que possui pouco tempo de experiência na direção.

BATIDAS EM OBJETOS PARADOS E ATROPELAMENTOS

O tipo de colisão com maior letalidade, segundo o levantamento da Subseção de Ocorrências do BPTran foi choque em objeto fixo, com um total de 17 mortes registradas. Exemplificando, este acidente ocorre quando uma moto bate em um poste ou quando um veículo colide contra algo parado. Segundo a explicação do BPTran, um automóvel instantaneamente parado por um anteparo não permite a dissipação gradual de força da batida e potencializa os efeitos nocivos ao organismo humano.

Atropelamento na Avenida Sílvio Avidos, em Colatina, mata idoso de 72 anos
Os atropelamentos, especialmente envolvendo pessoas acima de 60 anos, vitimaram 12 pessoas na Grande Vitória em 2019.  O avanço à faixa de pedestre eleva as chances desse tipo de acidente de trânsito. Crédito: Reprodução | TV Gazeta

Outro dado importante levantado diz respeito aos atropelamentos, que somam 12 óbitos. Destes, 9 são de pessoas acima dos 60 anos. Isso se deve ao fato de que nesta idade a agilidade é menor, o reflexo é mais lento, o que implica em dificuldade para caminhar, realizar travessias. Estes fatores somados à falta de prudência dos condutores pode resultar em acidentes fatais.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.