ASSINE

Jovem é morta com tiro no peito em Vitória; ex-namorado é suspeito

Emanuelly Cristina Aguiar foi baleada dentro de um quarto. Segundo a polícia, o ex-namorado disse que o tiro foi acidental

Tempo de leitura: 2min
Vitória
Publicado em 04/12/2021 às 08h45
Crime aconteceu na tarde do dia 03 de dezembro de 2021
Emanuelly Aguiar foi morta com um tiro no peito dentro de casa no bairro Grande Vitória. Crédito: Reprodução/Facebook

Uma jovem de 18 anos foi assassinada na tarde de sexta-feira (3) no bairro Grande Vitória, na Capital do Espírito Santo. Emanuelly Cristina Aguiar levou um tiro no peito dentro de casa. Segundo a polícia e familiares da vítima, o ex-namorado é o principal suspeito.

O caso aconteceu por volta das 17h. Policiais que estiveram no local informaram que Emanuelly estava em um quarto quando foi baleada. Depois de ser atingida pelo disparo, ela ainda correu para a sala, mas desmaiou no sofá. Ela chegou a ser socorrida por um primo para o Pronto Atendimento de São Pedro, mas morreu na unidade.

O ex-namorado da jovem tinha entrado na casa minutos antes do crime, segundo a polícia. Ele teria ajudado a prestar socorro. Para os policiais, o suspeito disse que o tiro foi acidental. Logo depois ele fugiu, e está desaparecido.

Testemunhas relataram que o casal tinha uma relação conturbada, marcada por muitas brigas e crises de ciúme. Eles namoravam há mais de um ano, mas tinha terminado o relacionamento na última quarta-feira (1). Desde então, o suspeito vinha fazendo ameaças à jovem.

A família de Emanuelly entregou aos investigadores da Polícia Civil um arquivo com mensagens que teriam sido trocadas entre a jovem e o ex-namorado em um aplicativo de conversa. No dia 28 de novembro, o suspeito teria escrito que ele que poderia voltar para a cadeia, mas que ela não o desrespeitaria mais.

crime aconteceu em 3 de dezembro
Mensagens trocadas entre Emanuelly e o ex-namorado foram entregues à polícia. Crédito: Reprodução/Roberto Pratti

Segundo familiares, o rapaz já teria sido preso por agredir uma outra mulher.

"Eu nem sabia que eles tinham terminado e ele estava fazendo ameaças, me contaram só depois. Eu teria chamado a polícia. Eu nunca fui a favor do relacionamento deles, sentia que ele faria algo ruim contra ela. Ele era muito ciumento, achava que a Manu era propriedade dele", destacou a avó da menina, a cozinheira Arilda Ferreira.

Emanuelly trabalhava como atendente em uma lanchonete do bairro. Segundo Arilda, a neta estava animada para voltar a estudar e já fazia planos para o fim de ano. 

"Ela ia começar a fazer um curso no ano que vem, estava muito feliz. Era uma menina trabalheira. Essa semana estava planejando a roupa que ia usar no Ano Novo. Estava muito ansiosa para o fim do ano", relatou.

O caso está sendo investigado pela Divisão Especializada de Homicídios e Proteção à Mulher (DHPM).

Com informações de Caíque Verli, da TV Gazeta

Correção

4 de Dezembro de 2021 às 12:41

Versões anteriores desta matéria traziam informações desencontradas sobre o status do relacionamento da jovem morta, porque membros da própria família não sabiam que ela havia terminado o namoro nesta semana. A família, contudo, confirmou mais tarde que o relacionamento já tinha acabado. O texto e o título foram corrigidos.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.