ASSINE

Carnaval de Vitória: a tradição da Piedade e a energia da Jucutuquara

No segundo episódio do podcast "DNA do Samba Capixaba" você vai conhecer os detalhes das baterias Ritmo Forte, da Piedade, e  da Nação, da Unidos de Jucutuquara

Publicado em 12/02/2020 às 17h10
Atualizado em 13/02/2020 às 16h45

O segundo episódio do podcast DNA do Samba Capixaba entra na ordem do desfile do grupo especial do Carnaval de Vitória 2020, que será realizado no sábado, 15 de fevereiro, no Sambão do Povo.

Primeira a atravessar a passarela do samba, a Unidos da Piedade, ou a "mais querida", como também é conhecida, vai defender o enredo "Francisco's", que homenageia homens com esse nome que marcaram e ainda marcam a história do Brasil e do mundo. Na sequência, quem pede passagem é a Unidos de Jucutuquara, com o enredo "Griot", que ressalta os negros contadores de histórias da África, que passavam conhecimento para os mais jovens.

Mais quais são as principais características de cada uma das baterias dessas escolas? O que marca o samba da Piedade e da Jucutuquara? Clique no play e ouça o segundo episódio do podcast DNA do Samba Capixaba.

RITMO DAS ESCOLAS

A bateria da Piedade tem nome, é a Ritmo Forte. Comandada pela primeira vez pelo mestre Tereu, ela mantém a tradição, muito sustentada na batida de caixas e nos surdos de terceira.

Este vídeo pode te interessar

A bateria Ritmo Forte da Unidos da Piedade faz questão de manter a tradição na sonoridade da escola. Crédito: Gabriela Martins
A bateria Ritmo Forte da Unidos da Piedade faz questão de manter a tradição na sonoridade da escola. Crédito: Gabriela Martins

Na Jucutuquara é o mestre Júnior Caprichosos quem está à frente da bateria da Nação pelo segundo ano consecutivo. Ele promete levar muita ousadia e paradinhas para o Sambão do Povo. A batida de caixa e o repique mor são os destaques da escola.

A bateria da Nação, da Unidos de Jucutuquara promete muita ousadia e paradinhas na avenida. Crédito: Gabriela Martins
A bateria da Nação, da Unidos de Jucutuquara promete muita ousadia e paradinhas na avenida. Crédito: Gabriela Martins

Ouça também o primeiro episódio do podcast DNA do Samba Capixaba que detalha a bateria Águia Furiosa, da Boa Vista.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.