ASSINE

Postos do ES dizem que imposto do diesel só foi reduzido parcialmente

Após reclamações, Sindipostos afirmou que o PIS/Pasep do diesel vendido nas bombas não foi totalmente zerado, já que a isenção se baseia no preço do imposto vendido pelas refinarias e não nos postos de gasolina

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 10/03/2021 às 19h05
Petrobras anunciou a seus clientes nesta quarta (18) reajustes no preço da gasolina e do diesel
Preço do diesel afeta principalmente os caminhoneiros. Crédito: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Desde o início do mês está valendo a isenção total dos tributos federais PIS e Cofins sobre o óleo diesel, anunciado pelo governo federal como resposta à alta dos combustíveis. Contudo, alguns motoristas têm tido dúvidas sobre a questão, principalmente considerando que, ao abastecerem, recebem nota fiscal com o indicativo dos impostos cobrados.

A redução da carga tributária do diesel é temporária e vale por apenas dois meses. Sobre esse assunto, contudo, é preciso ter em mente alguns pontos. O primeiro deles é que os impostos federais foram zerados sobre o diesel A, que é aquele vendido pelas refinarias ou importadoras às distribuidoras.

O Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Espírito Santo (Sindipostos-ES) esclarece que o diesel vendido nos postos teve o PIS/Cofins apenas parcialmente reduzido.

Isso porque, o combustível que está nas bombas, destinado ao consumidor final, é o óleo diesel B, composto por uma mistura de 87% de óleo diesel A e 13% de biodiesel.

Desta forma, ainda continua incidindo impostos federais sobre os 13% de biodiesel que é misturado ao diesel. E esse imposto deverá aparecer no cupom fiscal.

Os postos explicam ainda que os valores nos cupons fiscais são apenas informativos e não têm função tributária. A nota fiscal ao consumidor é gerada automaticamente pelo sistema dos postos, baseado em planilha disponibilizada pelo Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT), sobre a qual os postos não têm influência. Segundo o Sindipostos, as planilhas estão sendo atualizadas para corrigir a falha.

O sindicato salienta ainda que os impostos sobre os combustíveis não são recolhidos pelos postos no ato de venda ao consumidor, e sim pelos outros elos da cadeia, como nas refinarias e distribuidoras.

"Alguns consumidores estão lendo valores referentes ao PIS/Cofins nos cupons fiscais e acusando postos de estarem recolhendo o imposto. Importante esclarecer que os postos revendedores não são os responsáveis pelo recolhimento de impostos (PIS/Cofins/Cide/ICMS) que incidem sobre os combustíveis. Isso é feito por elos anteriores da cadeia (refinarias/importadores/distribuidoras)", diz o sindicato.

Os demais combustíveis, como o etanol e a gasolina, não tiveram os impostos reduzidos ou zerados.

Este vídeo pode te interessar

A Gazeta integra o

Saiba mais
Biocombustível gasolina Combustível

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.