ASSINE

Empresários do ES pedem adiamento de impostos e facilidade em empréstimos

Os pedidos foram feitos nesta terça-feira (17) durante reunião entre  empresários e representantes do governo. Ideia é movimentar a economia em tempos de coronavírus

Publicado em 17/03/2020 às 17h00
Para representantes do setor produtivo, medidas devem ser tomadas para reduzir os impactos financeiros do coronavírus. Crédito: Pixabay
Para representantes do setor produtivo, medidas devem ser tomadas para reduzir os impactos financeiros do coronavírus. Crédito: Pixabay

Os representantes do setor produtivo do Espírito Santo pediram o adiamento do pagamento de impostos estaduais e uma maior facilidade na concessão de empréstimos para combater os efeitos econômicos do coronavírus. Os pedidos foram feitos nesta terça-feira (17) durante reunião entre empresários e integrantes do governo estadual.

De acordo com o presidente da Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes), Léo de Castro, os pleitos são voltados para as questões tributárias, de crédito, e para movimentar a economia.

Léo de Castro

Presidente da Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes)

"Não estamos dizendo que não vamos pagar, mas estamos pedindo mais prazo. Pedimos para seguir o governo federal, que postergou o Simples Nacional. A ideia é que o governo possa fazer o mesmo e postergar o pagamento do ICMS e das obrigações acessórias"

Na questão do crédito, a proposta é que sejam abertas linhas para capital de giro, com juros mais baixos e menos burocracia para quem for contratar o empréstimo. “É importante uma carência de 180 dias para começar a pagar tais empréstimos e taxas de juros em patamares normais, tendo em vista os atuais valores da taxa Selic”, acrescenta.

Para estimular a economia, o pedido é que o governo estadual avalie a possibilidade de antecipar o 13º salário dos servidores estaduais ativos e inativos. Isso poderia aumentar a circulação de dinheiro no comércio local.

O governo do Estado foi procurado para comentar os pedidos e as medidas a serem tomadas, mas não respondeu até a publicação desta reportagem. O presidente da Findes avalia que as medidas foram bem recebidas.

EMPRESAS PODEM MUDAR ESCALAS PARA REDUZIR HORÁRIO DE PICO NO TRANSPORTE PÚBLICO

O coordenador do Fórum das Entidades Federativas (FEF), Fabio Brasileiro, também participou do encontro representando todas as federações. Segundo ele, o governo está avaliando formas de evitar a propagação do coronavírus.

“Um dos pontos que ainda está sendo avaliado é a mudança de horário das escalas de trabalho para reduzir a aglomeração de pessoas. É fazer um fluxo fracionado para que as pessoas não se desloquem no mesmo horário”, explica Brasileiro

Apesar de a proposta ter sido apresentada, ainda não há definição sobre o assunto. “Esse planejamento foi iniciado hoje. O governo trouxe o setor produtivo para a mesa e todos – governo, empresários e sociedade civil – devemos estar alinhados”, acrescenta.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.