ASSINE

Empreendedores poderão pedir empréstimo de R$ 5 mil esta semana no ES

Informação foi passada pelo diretor-presidente do Bandes, Maurício Duque. Governo está acertando os últimos detalhes legais. Expectativa é que o dinheiro comece a ser repassado para os empreendedores na próxima semana

Publicado em 14/04/2020 às 09h56
Atualizado em 14/04/2020 às 09h56
Data: 08/01/2010 - ES - Vila Velha - Agência do Banestes no bairro Itaparica - Foto: Carlos Alberto Silva
Banestes deve começar a receber os pedidos de empréstimo nesta semana. Crédito: Carlos Alberto Silva

Os microempreendedores individuais (MEIs) que estão sofrendo os impactos financeiros do coronavírus poderão pedir, ainda esta semana, o empréstimo de até R$ 5 mil no Banestes. A informação é do diretor-presidente do Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes), Maurício Duque.

Em entrevista ao Bom Dia Espírito Santo, na manhã desta terça-feira (14), Duque disse que estão sendo feitos os últimos acertos legais para que o Banestes comece a operacionalizar a linha de crédito.

“O Banestes deve lançar [a linha de crédito] ainda esta semana e as empresas vão poder fazer a solicitação. Só que a liberação do dinheiro deve acontecer na semana que vem, ou na seguinte até que seja criado o CNPJ do Fundo de Aval”, explicou Duque.

O Fundo de Aval é a instituição que vai garantir os empréstimos aos MEIs. Ele foi criado por meio de uma lei aprovada na semana passada na Assembleia Legislativa.

O empréstimo de R$ 5 mil tem condições especiais de pagamento: não serão cobrados juros, a dívida poderá ser parcelada em até 24 meses e há um período de 6 meses de carência para o início do pagamento da dívida.

Além desse recurso voltado para microempreendedores individuais, há uma outra linha voltada para empresas que tenham faturamento anual de até R$ 360 mil. Nesta segunda linha, será disponibilizado R$ 31.500 para que as empresas façam o pagamento dos empregados.

“Essa segunda linha tem prazo de até 48 meses para o pagamento e juros de 3,75% ao ano, o que é considerado um juro muito baixo”, acrescentou Maurício Duque.

Por fim, há ainda uma última linha, sem limite de crédito, que tem juros de CDI + 4% ao ano. “Nessa opção a empresa pode pegar o volume de recursos que tem condições de pagar, dada a análise que o banco faz. Nessa opção são 48 meses para pagar”, disse o presidente do Bandes.

PROCURA POR EMPRÉSTIMOS AUMENTOU 250%

Segundo o presidente do Bandes, a procura por empréstimos aumentou consideravelmente nos primeiros meses deste ano na comparação com o mesmo período do ano passado. “Somente nos três primeiros meses, a procura por empréstimos no Bandes cresceu 250%. No Banestes, a demanda por crédito cresceu de 10 a 15%”, revelou Maurício Duque.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.