ASSINE

Comércio do ES já calcula perdas de R$ 1,3 bilhão nas vendas

Levantamento aponta que 78% dos estabelecimentos comerciais do Espírito Santo estão fechados. Nos que funcionam, movimento de clientes caiu cerca de 35%

Publicado em 09/04/2020 às 17h14
Atualizado em 09/04/2020 às 18h37

A perda de faturamento no comércio do Espírito Santo foi estimada em R$ 1,3 bilhão*, considerando a data do início do impedimento de abertura de lojas, por meio de decreto estadual, até o dia 7 de abril. O levantamento foi feito pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), com dados para o Brasil e 10 unidades da Federação, incluindo Espírito Santo. A análise local foi elaborada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado (Fecomércio-ES) e divulgada nesta quinta-feira (9).

*Inicialmente, a Fecomércio divulgou o valor de R$ 1,3 milhão, mas, às 18h30 desta quinta, corrigiu para R$ 1,3 bilhão.

Comércio fechado em Cachoeiro de Itapemirim
Comércio fechado em Cachoeiro de Itapemirim. Crédito: TV Gazeta Sul

O estudo apurou também que 78% dos estabelecimentos comerciais do Estado estão fechados. Mostrou também que, mesmo para aqueles que estão abertos, como o varejo alimentício e as farmácias, o movimento de clientes caiu cerca de 35%.

Apesar da tentativa de vendas pela internet, o modelo não foi capaz de preencher a queda das vendas do consumo presencial. Soma-se a isso o efeito da retração da renda dos consumidores, como daqueles que trabalham por conta própria, por comissões ou trabalhadores informais.

Comércio durante a pandemia de coronavírus

Data: 20/03/2020 - ES - Cariacica - Comércio na avenida Expedito Garcia em Campo Grande - Editoria: Cidades - Foto: Vitor Jubini - GZ
Data: 20/03/2020 - Em Campo Grande, Cariacica, um comerciante fecha as portas da loja durante a pandemia de Coronavírus. Foto: Vitor Jubini - GZ. Vitor Jubini
Data: 20/03/2020 - ES - Cariacica - Comércio na avenida Expedito Garcia em Campo Grande - Editoria: Cidades - Foto: Vitor Jubini - GZ
Data: 20/03/2020 - Em Campo Grande, Cariacica, um comerciante fecha as portas da loja durante a pandemia de Coronavírus. Foto: Vitor Jubini - GZ. Vitor Jubini
Data: 19/03/2020 - ES - Vitória - Tiffany Center, Praia do Canto - Os efeitos do coronavírus na Grande Vitória - Editoria: Cidades - Foto: Fernando Madeira - GZ
Data: 19/03/2020 - Na Praia do Cantos, em Vitória, o aviso de fechamento de um shopping durante a pandemia de coronavírus. Foto: Fernando Madeira - GZ. Fernando Madeira
Data: 20/03/2020 - ES - Cariacica - Comércio na avenida Expedito Garcia em Campo Grande - Editoria: Cidades - Foto: Vitor Jubini - GZ
Data: 20/03/2020 - Aviso de fechamento na porta de uma loja em Campo Grande, Cariacica, durante a pandemia de Coronavírus. Foto: Vitor Jubini - GZ. Vitor Jubini
Data: 19/03/2020 - ES - Vitória - Tiffany Center, Praia do Canto - Os efeitos do coronavírus na Grande Vitória - Editoria: Cidades - Foto: Fernando Madeira - GZ
Data: 19/03/2020 - Na Praia do Cantos, em Vitória, o aviso de fechamento de um shopping durante a pandemia de coronavírus. Foto: Fernando Madeira - GZ. Fernando Madeira
Data: 20/03/2020 - ES - Cariacica - Comércio na avenida Expedito Garcia em Campo Grande - Editoria: Cidades - Foto: Vitor Jubini - GZ
Data: 20/03/2020 - Antes do fechamento do comércio durante a pandemia de coronavírus, um vendedor usa máscara, na Avenida Expedito Garcia, em Campo Grande. Foto: Vitor Jubini - GZ. Vitor Jubini
Pandemia de coronavírus: supermercados amanhecem lotados em Vitória
Durante a pandemia de coronavírus o movimento de clientes nos supermercados cresceu. Muita gente começou a fazer estoque com medo da falta de abastecimento. Ricardo Medeiros
Pandemia de coronavírus: supermercados amanhecem lotados em Vitória
Durante a pandemia de coronavírus o movimento de clientes nos supermercados cresceu. Muita gente começou a fazer estoque com medo da falta de abastecimento. Ricardo Medeiros
Pandemia de coronavírus: supermercados amanhecem lotados em Vitória
Durante a pandemia de coronavírus o movimento de clientes nos supermercados cresceu. Ver clientes usando máscaras de proteção se tornou algo comum. Ricardo Medeiros
Pandemia de coronavírus: supermercados amanhecem lotados em Vitória
Durante a pandemia de coronavírus o movimento de clientes nos supermercados cresceu. Muita gente começou a fazer estoque com medo da falta de abastecimento. Ricardo Medeiros
Data: 18/03/2020 - ES - Vitória - Coronavírus - Movimentação de bares no Triângulo das Bermudas na Praia do Canto - Editoria: Cidades - Foto: Vitor Jubini - GZ
Data: 18/03/2020 - Famoso por ser um local de encontros e muita agitação, o Triângulo das Bermudas, na Praia do Canto, ficou vazio antes mesmo da decretação de fechamento do comércio durante a pandemia de coronavírus. Foto: Vitor Jubini. Vitor Jubini
Data: 18/03/2020 - ES - Vitória - Coronavírus - Movimentação na Avenida Jerônimo Monteiro, Centro da Capital - Editoria: Cidades - Foto: Vitor Jubini - GZ
Data: 18/03/2020 -  Na Avenida Jerônimo Monteiro, no Centro da Capital, o movimento no comércio caiu bastante mesmo antes da decretação do fechamento do comércio durante a pandemia. Foto: Vitor Jubini . Vitor Jubini
Data: 18/03/2020 - ES - Vitória - Coronavírus - Movimentação na Avenida Jerônimo Monteiro, Centro da Capital - Editoria: Cidades - Foto: Vitor Jubini - GZ
Data: 18/03/2020 -  Na Avenida Jerônimo Monteiro, no Centro da Capital, o movimento no comércio caiu bastante mesmo antes da decretação do fechamento do comércio durante a pandemia do coronavírus. Foto: Vitor Jubini . Vitor Jubini
Data: 18/03/2020 - ES - Vitória - Coronavírus - Movimentação na rua Chapot Prevot, Praia do Canto - Editoria: Cidades - Foto: Vitor Jubini - GZ
Data: 18/03/2020 - Na rua Chapot Presvot, pedaço charmoso da Praia do Canto, uma queda grande no movimento foi percebida antes da decretação do fechamento do comércio foi percebido durante a pandemia. Foto: Vitor Jubini . Vitor Jubini
Data: 17/03/2020 - ES - Vitória - Avenida Jerônimo Monteiro vazia depois da suspensão das aulas causado pelo surto de coronavìrus - Editoria: Cidades - Foto: Ricardo Medeiros - GZ
Data: 17/03/2020 - Na Avenida Jerônimo Monteiro, no Centro da Capital, a vendedora de braços cruzados comprova a queda do movimento no comércio antes da decretação do fechamento por causa da  pandemia do coronavírus. Foto: Ricardo Medeiros - GZ. Ricardo medeiros
Data: 17/03/2020 - Na Avenida Jerônimo Monteiro, no Centro da Capital, a vendedora de braços cruzados comprova a queda do movimento no comércio antes da decretação do fechamento por causa da  pandemia do coronavírus. Foto: Ricardo Medeiros - GZ
Data: 17/03/2020 - Na Avenida Jerônimo Monteiro, no Centro da Capital, a vendedora de braços cruzados comprova a queda do movimento no comércio antes da decretação do fechamento por causa da  pandemia do coronavírus. Foto: Ricardo Medeiros - GZ
Data: 17/03/2020 - Na Avenida Jerônimo Monteiro, no Centro da Capital, a vendedora de braços cruzados comprova a queda do movimento no comércio antes da decretação do fechamento por causa da  pandemia do coronavírus. Foto: Ricardo Medeiros - GZ
Data: 17/03/2020 - Na Avenida Jerônimo Monteiro, no Centro da Capital, a vendedora de braços cruzados comprova a queda do movimento no comércio antes da decretação do fechamento por causa da  pandemia do coronavírus. Foto: Ricardo Medeiros - GZ
Data: 17/03/2020 - Na Avenida Jerônimo Monteiro, no Centro da Capital, a vendedora de braços cruzados comprova a queda do movimento no comércio antes da decretação do fechamento por causa da  pandemia do coronavírus. Foto: Ricardo Medeiros - GZ
Data: 17/03/2020 - Na Avenida Jerônimo Monteiro, no Centro da Capital, a vendedora de braços cruzados comprova a queda do movimento no comércio antes da decretação do fechamento por causa da  pandemia do coronavírus. Foto: Ricardo Medeiros - GZ
Data: 17/03/2020 - Na Avenida Jerônimo Monteiro, no Centro da Capital, a vendedora de braços cruzados comprova a queda do movimento no comércio antes da decretação do fechamento por causa da  pandemia do coronavírus. Foto: Ricardo Medeiros - GZ
Data: 17/03/2020 - Na Avenida Jerônimo Monteiro, no Centro da Capital, a vendedora de braços cruzados comprova a queda do movimento no comércio antes da decretação do fechamento por causa da  pandemia do coronavírus. Foto: Ricardo Medeiros - GZ
Data: 17/03/2020 - Na Avenida Jerônimo Monteiro, no Centro da Capital, a vendedora de braços cruzados comprova a queda do movimento no comércio antes da decretação do fechamento por causa da  pandemia do coronavírus. Foto: Ricardo Medeiros - GZ
Data: 17/03/2020 - Na Avenida Jerônimo Monteiro, no Centro da Capital, a vendedora de braços cruzados comprova a queda do movimento no comércio antes da decretação do fechamento por causa da  pandemia do coronavírus. Foto: Ricardo Medeiros - GZ
Data: 17/03/2020 - Na Avenida Jerônimo Monteiro, no Centro da Capital, a vendedora de braços cruzados comprova a queda do movimento no comércio antes da decretação do fechamento por causa da  pandemia do coronavírus. Foto: Ricardo Medeiros - GZ
Data: 17/03/2020 - Na Avenida Jerônimo Monteiro, no Centro da Capital, a vendedora de braços cruzados comprova a queda do movimento no comércio antes da decretação do fechamento por causa da  pandemia do coronavírus. Foto: Ricardo Medeiros - GZ
Data: 17/03/2020 - Na Avenida Jerônimo Monteiro, no Centro da Capital, a vendedora de braços cruzados comprova a queda do movimento no comércio antes da decretação do fechamento por causa da  pandemia do coronavírus. Foto: Ricardo Medeiros - GZ
Data: 17/03/2020 - Na Avenida Jerônimo Monteiro, no Centro da Capital, a vendedora de braços cruzados comprova a queda do movimento no comércio antes da decretação do fechamento por causa da  pandemia do coronavírus. Foto: Ricardo Medeiros - GZ
Data: 17/03/2020 - Na Avenida Jerônimo Monteiro, no Centro da Capital, a vendedora de braços cruzados comprova a queda do movimento no comércio antes da decretação do fechamento por causa da  pandemia do coronavírus. Foto: Ricardo Medeiros - GZ

Entre as tentativas de conter a disseminação do coronavírus, foi determinado o fechamento dos estabelecimentos comerciais em todo o Espírito Santo, por meio de decreto do governo estadual, desde o dia 21 de março. Apenas atividades essenciais foram mantidas. Nesta semana, algumas atividades foram liberadas, como lojas de material de construção e de chocolate, devido à proximidade com a Páscoa.

Ainda segundo estimativas da CNC, as 10 unidades da Federação pesquisadas são responsáveis por 72,5% do volume de vendas do comércio nacional e o impedimento à operação de estabelecimentos comerciais levou a uma perda real de faturamento de R$ 53,3 bilhões até o dia 7 de abril nessas regiões, equivalente a uma retração de 46,1% na comparação com o mesmo período do ano passado.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.