ASSINE

Com 4ª onda da Covid, faltam trabalhadores e matéria-prima em indústrias do ES

Em algumas empresas, mais de 40% dos colaboradores foram afastados na primeira quinzena de janeiro e produção industrial já sente os impactos do recrudescimento pandemia

Tempo de leitura: 2min
Vitória
Publicado em 25/01/2022 às 16h40

A quarta onda da pandemia do novo coronavírus, combinada à epidemia de gripe que assola o Estado desde o final do ano passado, tem refletido na indústria capixaba. Um estudo feito pela Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes) apontou que 81% das empresas do setor registraram afastamento de funcionários por sintomas gripais, a maioria na primeira quinzena de janeiro. 

Entre as empresas pesquisadas, 57% indicaram que menos de 10% do quadro de colaboradores foi afastado. Mas em 5% dos casos, o número de trabalhadores que se ausentaram de suas funções em algum momento deste mês superou os 40%. Companhias também relataram dificuldade para comprar insumos.

Empresas têm reforçado medidas de orientação e prevenção contra a Covid-19 no local de trabalho
Empresas têm reforçado medidas de orientação e prevenção contra a Covid-19 no local de trabalho. Crédito: Pixabay

A pesquisa de opinião empresarial da Findes foi realizada entre os dias 18 e 20 de janeiro, ouvindo 152 indústrias capixabas. Quase metade (45%) das empresas avaliadas apontou queda na disponibilidade de insumos. A escassez também implicou em aumento de custos.

Os problemas têm resultado em queda na produção para 40% das indústrias capixabas. Mas há também aquelas que estão atrasando o prazo de entrega de produtos (36%) enquanto lidam com a situação.

A presidente da Findes, Cris Samorini, destacou que a Federação tem acompanhado a situação e orientado as empresas acerca de ações voltadas à prevenção da Covid-19.

“Seguimos vigilantes. Desde o início da pandemia, em 2020, acompanhamos as indústrias do Estado e damos todas as orientações necessárias para proteger nossos trabalhadores, associados e a sociedade capixaba como um todo. E sempre trabalhamos de forma integrada com sindicatos e poder público para contribuir neste momento tão desafiador."

Implicações que as empresas vêm enfrentando devido à pandemia de Covid-19 e/ou atual epidemia de Influenza | Espírito Santo
Implicações que as empresas vêm enfrentando devido à pandemia de Covid-19 e/ou atual epidemia de Influenza | Espírito Santo. Crédito: Findes/Divulgação

Diante da situação, as empresas têm reforçado a adoção de medidas de segurança sanitária contra a Covid-19 e Influenza, e destacam que a maioria de seus colaboradores já recebeu pelo menos duas doses da vacina contra o coronavírus. Em 32% das indústrias, todos os trabalhadores já foram vacinados.

O pico de afastamentos não é percebido somente nesse setor. Conforme já mostrou A Gazetasupermercados, bares, restaurantes e lojas em geral também têm relatado desfalque no número de trabalhadores por conta de sintomas gripais.

Este vídeo pode te interessar

A Gazeta integra o

Saiba mais

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.