ASSINE

BR 262: plano de concessão prevê duplicação total em 21 anos

Empresa que vencer o leilão só começará as obras a partir do terceiro ano de contrato. Primeiro trecho contemplado no ES será de Viana até Victor Hugo, em Marechal Floriano

Publicado em 10/08/2020 às 22h21
Atualizado em 11/08/2020 às 11h44
BR 262
BR 262: duplicação está prevista no plano de outorga. Crédito: Vitor Jubini

plano de outorga da BR 262 no Espírito Santo, divulgado nesta segunda-feira (10) pela Agência Nacional de Transportes terrestres (ANTT), prevê obras de duplicação obrigatórias em quase toda a extensão da rodovia. No trecho capixaba, que tem 180 km, são esperados 178,5 km de duplicação até o fim do contrato, que terá duração de 30 anos.

Contudo, a maior parte dessas obras só deve começar depois do 16º ano de concessão e terminar no 21º ano. Isso significa que, caso a empresa que vença o leilão comece a atuar já no ano que vem e siga corretamente o cronograma, a duplicação completa da BR 262 só deve ficar pronta em 2042.

Segundo o documento, as obras para ampliar a capacidade da rodovia foram divididas em duas fases: a primeira começa no terceiro ano de concessão e termina no oitavo. A segunda, inicia no 16º e finaliza no 21º.

No primeiro ciclo, só está prevista a duplicação do trecho entre Viana e Victor Hugo, em Marechal Floriano, de 54 km de extensão. A obra foi uma promessa do governo federal para o Estado durante quase 15 anos.

Já o segundo ciclo contempla os demais trechos, divididos em sete segmentos, que somam 124,5 km. Ele vai de Victor Hugo até a divisa com Minas Gerais.

O plano de concessão ainda precisa ser aprovado pelo Tribunal de Contas da União (TCU) para que a rodovia vá a leilão. A BR 262 (trecho no Espírito Santo e em Minas Gerais) será leiloada junto com a BR 381/MG.

PEDÁGIO, PASSARELAS E PONTOS DE ÔNIBUS

O projeto prevê três praças de pedágio no Estado, em Ibatiba, Venda Nova do Imigrante e Viana. O documento aponta que a proposta de tarifa básica pela empresa que vencer o leilão não deverá ser maior que R$ 7,41 por trecho.

Este vídeo pode te interessar

Entre as melhorias na via, estão previstas sete travessias urbanas, oito passarelas, obras de contenção de encostas, correção de traçado da rodovia, 51 km de vias marginais e 28 pontos de ônibus. A iluminação só será obrigatória nos trechos urbanos.

A Gazeta integra o

Saiba mais
BR 262 estradas TCU

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.