ASSINE

BR 262: plano de concessão prevê duplicação total em 21 anos

Empresa que vencer o leilão só começará as obras a partir do terceiro ano de contrato. Primeiro trecho contemplado no ES será de Viana até Victor Hugo, em Marechal Floriano

Publicado em 10/08/2020 às 22h21
Atualizado em 11/08/2020 às 11h44
BR 262
BR 262: duplicação está prevista no plano de outorga. Crédito: Vitor Jubini

plano de outorga da BR 262 no Espírito Santo, divulgado nesta segunda-feira (10) pela Agência Nacional de Transportes terrestres (ANTT), prevê obras de duplicação obrigatórias em quase toda a extensão da rodovia. No trecho capixaba, que tem 180 km, são esperados 178,5 km de duplicação até o fim do contrato, que terá duração de 30 anos.

Contudo, a maior parte dessas obras só deve começar depois do 16º ano de concessão e terminar no 21º ano. Isso significa que, caso a empresa que vença o leilão comece a atuar já no ano que vem e siga corretamente o cronograma, a duplicação completa da BR 262 só deve ficar pronta em 2042.

Segundo o documento, as obras para ampliar a capacidade da rodovia foram divididas em duas fases: a primeira começa no terceiro ano de concessão e termina no oitavo. A segunda, inicia no 16º e finaliza no 21º.

No primeiro ciclo, só está prevista a duplicação do trecho entre Viana e Victor Hugo, em Marechal Floriano, de 54 km de extensão. A obra foi uma promessa do governo federal para o Estado durante quase 15 anos.

Já o segundo ciclo contempla os demais trechos, divididos em sete segmentos, que somam 124,5 km. Ele vai de Victor Hugo até a divisa com Minas Gerais.

O plano de concessão ainda precisa ser aprovado pelo Tribunal de Contas da União (TCU) para que a rodovia vá a leilão. A BR 262 (trecho no Espírito Santo e em Minas Gerais) será leiloada junto com a BR 381/MG.

PEDÁGIO, PASSARELAS E PONTOS DE ÔNIBUS

O projeto prevê três praças de pedágio no Estado, em Ibatiba, Venda Nova do Imigrante e Viana. O documento aponta que a proposta de tarifa básica pela empresa que vencer o leilão não deverá ser maior que R$ 7,41 por trecho.

Entre as melhorias na via, estão previstas sete travessias urbanas, oito passarelas, obras de contenção de encostas, correção de traçado da rodovia, 51 km de vias marginais e 28 pontos de ônibus. A iluminação só será obrigatória nos trechos urbanos.

BR 262 estradas TCU

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.