ASSINE

Aumento da demanda e queda na produção faz faltar gás de cozinha no ES

Nos locais onde o produto ainda é encontrado, o preço já subiu. Petrobras diz que ampliou importação para suprir o mercado

Publicado em 06/04/2020 às 19h51
Atualizado em 06/04/2020 às 20h47
Botija de gás
Botija de gás já está em falta em alguns pontos da Grande Vitória. Crédito: Divulgação

O aumento do consumo de gás de cozinha e a redução da produção nas refinarias  têm provocado a falta do produto em alguns locais da Grande Vitória. Como manda a lei da oferta e da procura, nos pontos onde ainda há botijas para vender, os preços aumentaram.


Na Serra, a comerciante Leila Santos, que tem uma revendedora de gás em José de Anchieta, disse que o município está desabastecido há cerca de uma semana. Só hoje, as 30 botijas que chegaram foram vendidas rapidamente. "Nem está dando tempo de entregar. As pessoas estão vindo buscar aqui mesmo", contou à TV Gazeta. De acordo com Leila, o preço já subiu. A botija que era revendida a R$ 68,00 já está custando R$ 75,00.

Segundo a Petrobras, no mês de março, as vendas de GLP (gás de cozinha) totalizaram 615 mil toneladas em todo o Brasil, 8 mil toneladas acima da quantidade inicialmente acordada com as distribuidoras. A empresa afirma ainda que a procura pelo GLP aumentou na contramão dos demais combustíveis, como gasolina e o diesel, que sofreram grande queda nas vendas.

De acordo com o vice-presidente do Sindicato dos Revendedores de Gás no Espírito Santo (Sinregás), Cléber Santos, a queda no consumo desses outros combustíveis fez cair a produção nas refinarias. Ele explicou à TV Gazeta que, como a gasolina e o GLP são produzidos juntos, a queda afeta os dois produtos.

PETROBRAS AMPLIA IMPORTAÇÃO

A Petrobras afirmou que, no caso do GLP, a redução está sendo compensada com a importação do produto. Um dos navios já chegou e outros devem atracar no Brasil nos próximos dias. A empresa ressaltou ainda que as entregas do gás estão garantidas e que não há qualquer necessidade dos consumidores estocarem botijões.

"O primeiro navio, com capacidade adicional de 20 milhões de quilos de GLP (equivalente a 1,6 milhão de botijões P13), chegou ao Porto de Santos (SP) no dia 30 de março e os próximos têm previsão de chegada nos dias 06 e 10  de abril, em Santos e Mauá. Além disso, a partir do dia 7 de abril (terça), um novo duto também ampliará a oferta de GLP para a região de São Paulo", afirmou a empresa por meio de nota.

Sobre o aumento dos preços das botijas de gás, a Petrobras informou que o preço médio do GLP nas refinarias é de R$ 21,85 por botijão de 13 kg. No acumulado do ano, houve redução de cerca de -21%. "A Petrobras conta com as distribuidoras e revendedores para que as reduções do preço do botijão de gás cheguem até o consumidor final."

Com informações da TV Gazeta

Economia Petrobras gasolina Combustível

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.