ASSINE

Ventos fazem avião arremeter no Aeroporto de Vitória

Uma aeronave da GOL que vinha de Salvador precisou arremeter e pousar pelo outro lado da pista na tarde desta quarta-feira (1°)

Publicado em 02/09/2021 às 07h51
 A atividade é voltada aos amantes da fotografia de aviação. Os spotters, como são conhecidos, irão acessar espaços privilegiados do terminal, inclusive o pátio, para fotografar as aeronaves de um ângulo diferente e com mais proximidade.
Avião da GOL pousando no Aeroporto de Vitória. Crédito: Vitor Jubini

Os fortes ventos que atingiram o Espírito Santo atrasaram em alguns minutos um voo da GOL que pousaria no Aeroporto de Vitória. Uma aeronave da companhia precisou arremeter e pousar pelo outro lado da pista na tarde desta quarta-feira (1º).

A informação foi registrada por um morador que vive próximo ao Aeroporto de Vitória. A reportagem de A Gazeta, então, acionou a companhia aérea que confirmou a manobra do voo G3 1881, que saiu de Salvador com destino a Vitória. O motivo foram os fortes ventos que atingiram a capital capixaba nesta quarta-feira (1º).

“A GOL informa que o voo G3 1881, que saiu de Salvador com destino a Vitória, precisou arremeter e fazer nova aproximação por outra cabeceira devido a fortes ventos. A aeronave pousou no Aeroporto de Vitória com Segurança, valor número 1 da Companhia”, explicou.

A companhia lembrou que a arremetida é uma manobra comum na aviação. Ela é realizada quando, por algum motivo, o avião não apresenta uma condição plenamente adequada para realizar o pouso durante a descida. “Reforçamos que a arremetida é um procedimento operacional considerado normal dentro da aviação e todos os pilotos estão treinados para realizá-lo sempre que necessário”, explicou.

“NORMAL E SEGURO”

Procurada pela reportagem, a Zurich Airport Brasil, responsável pelo Aeroporto de Vitória, também destacou a segurança do procedimento, informando que ele ocorre de forma mais frequente quando o tempo está em condições adversas.

“Durante o período de pouso houve uma mudança da direção do vento, por isso, foi necessário que a aeronave desse a volta e pousasse pela outra cabeceira. Trata-se de um procedimento normal e seguro, que tende a ocorrer com mais frequência em cenários de meteorologia adversa”, completou.

O vento atrapalhou a chegada não só deste voo, mas também de outros nas últimas semanas em Vitória. No último dia 23, dois voos programados para chegarem ao aeroporto da Capital capixaba retornaram aos aeroportos de origem. Na ocasião, não houve nem arremetida. A condição de “vento de cauda” fez com que os pilotos não tentassem nem a aproximação da pista.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.