Uso de luvas para aplicar vacina contra a Covid-19 não é obrigatório

Ministério da Saúde orienta o equipamento apenas em casos de potencial contato com lesões ou secreções; mãos devem ser higienizadas entre cada aplicação

Vitória
Publicado em 20/01/2021 às 21h42
Terça-feira (19), foi realizada a primeira vacinação contra a COVID-19
Mãos devem ser lavadas ou higienizadas com álcool em gel 70% a cada atendimento feito durante a vacinação contra a Covid-19. Crédito: Fernando Madeira

Apesar da ausência de luvas nas mãos dos vacinadores ter chamado a atenção durante os primeiros dias de imunização contra a Covid-19 no Espírito Santo, o uso delas não é obrigatório – da mesma forma que já acontecia em outras campanhas, como a de combate à gripe, realizada anualmente.

No caso da pandemia, o uso opcional está previsto em uma nota técnica do Ministério da Saúde, publicada no dia 31 de março de 2020, quando a pasta ainda era comandada pelo médico Luiz Henrique Mandetta. Abaixo, estão as instruções contidas no documento, referentes à higiene das mãos:

  • Não usar adornos (como relógios, pulseiras e anéis) durante os procedimentos;
  • Realizar a lavagem das mãos, com duração mínima de 20 segundos, antes e depois da aplicação de cada vacina;
  • Utilizar toalhas de papel descartáveis para a secagem das mãos.

A exceção acontece "nas situações em que há risco de o vacinador entrar em contato com secreções potencialmente infectadas ou em casos em que o profissional tenha lesões abertas nas mãos, a fim de evitar contaminação, tanto do imunobiológico (vacina), quanto do usuário (vacinado)", explica a nota.

Nessa terça-feira (19), o Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) publicou uma cartilha com orientações, na qual também coloca como necessário o uso de luvas apenas nos casos específicos já citados. "Se usadas, elas devem ser trocadas entre os pacientes, associadas à adequada higienização das mãos", ressalta.

OUTROS EPIs SÃO NECESSÁRIOS

Diferentemente das luvas, há outros Equipamentos de Proteção Individual (EPI) que têm o uso recomendado. As máscaras, por exemplo, são obrigatórias tanto para os profissionais de saúde, quanto para quem vai receber a vacina, com raras exceções vinculadas a pessoas com deficiência ou com idade avançada e saúde debilitada.

A cartilha elaborada pelo Cofen também orienta que os aplicadores usem avental descartável e escudo facial (face shield) ou óculos de proteção quando estiverem imunizando as pessoas contra o novo coronavírus. "As orientações visam um atendimento humanizado e seguro", afirma Nádia Ramalho, presidente do Conselho.

Brasil Brasil Espírito Santo Coronavírus Coronavírus no ES Covid-19 espírito santo Vacina Campanha de vacinação Pandemia

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.