Renato Casagrande: "Início da vacinação no ES vai ser a conta-gotas"

Em entrevista à Rádio CBN Vitória nesta quarta-feira (20), o governador do Estado capixaba revelou que a vacinação só ganhará ritmo a partir de março, com a possível chegada de insumos ao Brasil

Vitória
Publicado em 20/01/2021 às 18h04
Entrevista com o governador do Espírito Santo Renato Casagrande (PSB) na residência oficinal, Praia da Costa, Vila Velha
Renato Casagrande: "Estamos felizes com o início da campanha, mas contrato que o governo federal fez com instituições é pequeno". Crédito: Vitor Jubini

A corrida pelas vacinas ganhou um novo capítulo esta semana com a chegada de um primeiro lote ao Espírito Santo e a novidade animadora deixou a dúvida: quando é que toda a população capixaba será vacinada? Em entrevista à Rádio CBN Vitória (92,5 FM) nesta quarta-feira (20), o governador Renato Casagrande revelou que a vacinação só ganhará ritmo a partir de março, com a possível chegada de insumos ao Brasil — e que o Estado deve receber vacinas até o terceiro mês do ano "a conta-gotas".

Renato Casagrande

governador do Espírito Santo

"Vamos receber até março, pelo menos, vacinas a conta-gotas. Não teremos escala de vacinação, não poderemos levar para as unidades de saúde grandes quantidades para imunizar a população. Esse é o alerta que fazemos: estamos felizes com o início da campanha, mas o contrato que o governo federal fez com instituições é pequeno "

Casagrande aproveitou para criticar a relação diplomática que o Brasil tem com os países que devem fornecer os insumos para fabricação da vacina. "Não temos muitas perspectivas porque a China e a Índia não priorizaram o Brasil no envio de insumos. Nossa preocupação é de que, de fato, não consigamos quantidade maior de doses a partir de março se a importação de insumos não acontecer", frisou. O próximo lote de vacinas que o Espírito Santo deve receber vai conter 70 mil doses, capaz de imunizar 35 mil capixabas.

"A relação diplomática do Brasil com os países é muito ruim, por questões, às vezes, infantis, ideológicas. Isso atrapalha, atrapalhou e efetivamente pode continuar atrapalhando", completou o chefe do Executivo estadual. Casagrande comenta que um grupo de 15 governadores enviou nesta quarta-feira (20) uma carta ao presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), pedindo que ele mantenha um diálogo diplomático com os países.

"Se ele (o presidente) liga para o primeiro-ministro indiano estabelecendo uma relação respeitosa de diálogo, isso ajudará para que países tenham a preocupação com relação ao Brasil. A China é o nosso principal parceiro comercial, precisamos ter maturidade nessas relações. Não podemos ter rompantes ideológicos e infantis", comentou o governador.

Casagrande relembra que a Fiocruz e o Instituto Butantan têm capacidade para produzir, cada um, 30 milhões doses de vacina por mês, mas que sem insumos, o país pode ficar "atrás" na corrida para imunizar todos os brasileiros. "O governo do Estado está em contato com diversos laboratórios, mas falta fornecedor. Já reservei recurso para comprar vacinas. Continuamos abertos e dialogando com laboratórios para, no decorrer do ano, possamos comprar vacinas", finalizou.

"VACINÔMETRO"

O Painel Covid-19, atualizado diariamente pela Secretaria de Estado da Saúde, ganhará uma nova aba — com informações esperançosas — esta semana. Casagrande afirmou que uma espécie de "vacinômetro" vai aparecer por lá, contabilizando o número de pessoas vacinadas no Espírito Santo.

"O Painel Covid será atualizado com o número de vacinados. O governo federal tem um sistema de lançamento, e o gestor municipal precisa lançar o nome e os dados da pessoa que recebe a vacina. Existe a plataforma, um sistema. Mas colocaremos isso no nosso Painel Covid, atualizado pela Sesa", afirmou o chefe do Executivo estadual.

Nesta primeira fase, o Espírito Santo recebeu do Ministério da Saúde cerca de 100 mil doses da Coronavac, desenvolvida pelo Instituto Butantan, em parceria com o laboratório chinês SinoVac. Ao todo, cerca de 48 mil pessoas receberão o imunizante — de acordo com Casagrande, este número representa apenas pouco mais de 1% da população do Estado capixaba, que tem pouco mais de 4 milhões de habitantes.

VACINADOS NO ES E MAPA DE RISCO

Sobre o número de pessoas imunizadas no Espírito Santo, Casagrande comenta que infelizmente o montante não deve afetar positivamente no mapa de risco, que estipula, sob cálculos, o grau de risco dos municípios.

Renato Casagrande

governador do Espírito Santo

""48 mil pessoas não vão interferir positivamente no mapa de risco não, infelizmente. Estamos em situação de estabilidade em termos de óbitos, crescemos muito na média móvel dos últimos 14 dias"."

"Tem três semanas de estabilidade, o número dos que testam positivo para o novo coronavírus tem reduzido um pouco. Número de contagiados também não tem crescido como antes. Mas o número de vacinados não vai interferir no mapa de risco", completou Casagrande.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.