ASSINE

Um ano após enchente, pontes de Vargem Alta ainda aguardam  reconstrução

Comunidades como Morro do Sal e Vargem Grande não tiveram pontes reconstruídas desde a enchente de janeiro de 2020. Na época, 15 pontes caíram

Cachoeiro de Itapemirim / Rede Gazeta
Publicado em 01/03/2021 às 19h19
Ponte da comunidade de Morro do Sal
Ponte da comunidade de Morro do Sal . Crédito: Reprodução/ TV Gazeta Sul

Desde a enchente de janeiro do ano passado, os moradores das comunidades de Morro do Sal e Vargem Grande, no interior de Vargem Alta, na Região Serrana do Espírito Santo, aguardam a reconstrução de pontes importantes. Sem as vias concluídas, as pessoas se arriscam em pontes de madeira, improvisadas.

Há mais de um ano, mais de 60 famílias foram atingidas pela enchente em Morro do Sal, um dos pontos mais castigados naquela época. Uma ponte de madeira pequena foi construída. O operador de pá mecânica, Simão Pedro, diz que as obras começaram, mas considera o trabalho é lento. “Faz um ano e dois meses da enchente e para ir na cidade tem que fazer um desvio de quase 20 quilômetros, por aqui, é só um e meio. É revoltante”, disse Pedro.

Durante a enchente, 15 pontes caíram em Vargem Alta, como a do distrito de Vargem Grande. A construção da nova ligação começou, e de acordo com moradores anda parada desde ano passado. Por lá, cerca de 40 famílias usam a ponte cedida de uma área particular.

pPonte de
Ponte de Vargem Grande. Crédito: Reprodução/ TV Gazeta Sul

“Às vezes divido a carga em duas vezes para conseguir escoar a produção. Às vezes, quando chove muito, o carro não passa nem pelo atalho”, disse o Roberto Mengol.

O QUE DIZ A PREFEITURA

Em nota, a prefeitura de Vargem Alta informou que, no caso da ponte da comunidade de Vargem Grande, pediu à Secretaria de Estado de Agricultura as vigas para a obra, mas existe um processo de licitação em andamento para aquisição do material.

moradores das comunidades de Morro do Sal
Ponte em construção em Morro do Sal . Crédito: Reprodução/ TV Gazeta Sul

Já no caso da ponte da localidade de Morro do Sal disse que é de responsabilidade do Departamento de Edificações e de Rodovias do Espírito Santo (DER-ES). O órgão, por sua vez, informou que por causa das chuvas das últimas semanas, houve uma diminuição do ritmo de trabalho, mas as obras não estão paralisadas e a previsão de entrega das pontes é para o mês de abril.

Com informações da repórter da TV Gazeta Sul,  Priscieli Venturini. 

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.