Taxa de ocupação de leitos de UTI para Covid-19 no ES permanece estável

O indicador oscilou para baixo nas últimas 24 horas, registrando 73,08% de utilização das vagas de terapia intensiva do SUS

Publicado em 28/07/2020 às 16h34
Atualizado em 28/07/2020 às 18h45
Novos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) com respirador no Hospital Jayme Santos Neves, na Serra.
O Hospital Dr. Jayme Santos Neves, na Serra, é referência no atendimento a pacientes com a Covid-19. Crédito: Reprodução/TV

A taxa de ocupação dos leitos de UTI para pacientes com a Covid-19 no Espírito Santo se mantém estável nesta terça-feira (28). Em 24 horas, o indicador oscilou para baixo, passando de 73,95% para 73,08% de utilização das vagas de terapia intensiva nos hospitais que atendem pelo Sistema Único de Saúde (SUS).  

Região Norte, que havia apresentado condição mais crítica na véspera, com 89,74% de ocupação, teve redução de mais de seis pontos percentuais e, agora, registra 83,33%. Ainda é a região com maior taxa, porém a pressão sobre o sistema de saúde diminuiu. Problema maior é que, por lá,  há muitos municípios que integram o risco alto de transmissão de coronavírus, como Águia BrancaEcoporanga e Pancas, conforme o mapa que é divulgado toda semana pelo governo do Estado

Na sequência, aparece a Região Metropolitana com mais demanda por vagas, e é onde também se concentra a oferta. Dos 474 leitos de UTI, 352 estão ocupados, o que equivale a 74,26% - bem próximo do índice geral do Estado. As regiões Sul e Central, em situação mais tranquila, têm ocupação de 64,21% e 61,36%, respectivamente.

Apesar da estabilidade no Espírito Santo, os números ainda exigem que a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) permaneça em alerta. No Painel Covid-19, ferramenta do governo que registra os dados referentes à doença, a taxa da UTI aparece no marcador amarelo, entre o verde (risco menor) e o vermelho (quadro mais crítico). 

A taxa de ocupação das enfermarias, por sua vez, oscilou para cima e passou de 57,62% para 58,53%, mas não chega a ser um complicador. As vagas são voltadas para os casos menos complexos da Covid-19. Ao todo, o Espírito Santo dispõe de 1.465 leitos para pacientes infectados pelo coronavírus, somada a oferta na rede própria, filantrópica e particular. 

Com indicadores mais favoráveis, o Estado começa a reverter vagas que eram destinadas exclusivamente à Covid-19 para atender pessoas com outras enfermidades, segundo anunciou o governador Renato Casagrande nesta terça. Assim, a oferta da terapia intensiva saiu de 705 leitos, no domingo (26), para 691 atualmente.  

A reorganização da oferta está sendo conduzida pela Sesa. O primeiro hospital a passar pela reversão é o Dório Silva, na Serra, de onde 14 leitos de UTI para a Covid-19 agora estão abertos para atendimento de pacientes com outras doenças.  A unidade ainda mantém 16 vagas para infectados pelo coronavírus.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.