ASSINE

Sete toneladas de lixo são retiradas de praias de Vitória e Vila Velha

Prefeituras mobilizaram mutirões no Dia Mundial da Limpeza. Organizadores fizeram mosaicos com os resíduos formando animais marinhos

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 18/09/2021 às 21h03
Mosaico feito com sacolas de lixo formou um filhote de baleia jubarte
Mosaico feito com sacolas de lixo formou um filhote de baleia jubarte e sua mãe. Crédito: Amigos da Jubarte

Em um dia em que diversas cidades no mundo se movimentaram em ações para deixar o planeta mais limpo, as prefeituras de Vitória e Vila Velha retiraram pouco mais de sete toneladas de resíduos das praias das duas cidades neste sábado (18). A ação, chamada Dia Mundial da Limpeza, ou do inglês World Cleanup Day, foi realizada em mais de 180 países, totalizando uma marca de 280 mil toneladas de resíduos que foram destinadas corretamente, para serem reciclados ou para tratados em aterros sanitários.

Em Vitória, foram seis toneladas retiradas da areia, da restinga e até debaixo da água. Cerca de 250 crianças, jovens e adultos se concentraram em diversos pontos da Capital. Houve coleta ao redor de toda a ilha, na Prainha de Santo Antônio, na Praia do Canto, na Curva da Jurema, Camburi, no manguezal da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), em Jesus de Nazareth, Enseada do Suá e Ilha do Frade.

No mar, 23 mergulhadores também apoiaram a ação, retirando lixo de dentro da água. A prefeitura também promoveu ações de sensibilização ambiental, em parceria com lideranças comunitárias e organizações ambientais. "Vitória tem o maior manguezal urbano da América Latina, fizemos essa ação de limpeza com o objetivo de evitar o descarte inadequado de material com ações educativas, porque isso vai gerando uma consciência geral nas pessoas", destacou o prefeito de Vitória, Lorenzo Pazolini (Republicanos).

Mergulhadores retiraram lixo da baía de Vitória
Mergulhadores retiraram lixo da baía de Vitória. Crédito: André Sobral/PMV

LIXO SE TORNOU MOSAICO DE BALEIA JUBARTE EM VILA VELHA

Em Vila Velha, onde foi recolhido pouco mais de uma tonelada de lixo, foram feitos mosaicos representando a baleia jubarte. O litoral capixaba se torna, nesta época do ano, local de fluxo intenso da espécie, que escolhe as águas mais quentes da região para dar à luz aos filhotes.

Na Prainha, berço da colonização capixaba, só de "microlixo", como pontas e guimbas de cigarro, palito de pirulito e papel de bala, materiais difíceis de serem recolhidos pela limpeza pública, foram retirados cinco quilos. O prefeito canela verde, Arnaldinho Borgo (Podemos), lembrou que o gasto para limpar a cidade poderia ser bem menor se houvesse maior conscientização das pessoas.

"Deixa evidente que a conscientização da destinação correta de resíduos é uma tarefa de todos nós. E que deve ser passada para frente, ensinada aos nossos filhos, netos, alunos. Gastamos mais de R$ 12 milhões a mais para limpar nossa amada Vila Velha, mas queremos usar esse recurso para deixar novas escolas, unidades de saúde, dar segurança e construir parques para nossa população", afirmou.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.