ASSINE

Sedu avalia implementar rodízio em volta às aulas presenciais no ES

O secretário de Estado da Educação, Vitor de Angelo, pontuou que essa volta às aulas presenciais, sem data prevista para ocorrer, será "mais complexa", porque alunos e professores estarão diante de uma "nova normalidade"

Publicado em 06/05/2020 às 08h20
Atualizado em 06/05/2020 às 08h20
Sala de aula vazia
Sala de aula vazia. Crédito: Divulgação

A Secretaria de Estado da Educação (Sedu) avalia um esquema de rodízio entre grupos de alunos no retorno às aulas presenciais, que ainda não tem data prevista para acontecer.

No Espírito Santo, as escolas estão fechadas desde a segunda quinzena de março, como uma das medidas de combate ao novo coronavírus. No final de abril, o governador Renato Casagrande prorrogou a suspensão das aulas até o fim de maio.

Desde então, a pasta tem trabalhado os conteúdos de sala de aula em um programa de atividades não presenciais, em que as principais estratégias são a transmissão das aulas pela TV e pela plataforma Google Sala de Aula, que pode ser acessada pelo aplicativo EscoLAR.

Em uma transmissão ao vivo no Instagram nesta terça-feira (5), o secretário de Estado da Educação, Vitor de Angelo, pontuou que essa volta às aulas presenciais é "mais complexa", porque alunos e professores estarão diante de uma "nova normalidade".

"Essa volta não será assim: 'olha, segunda-feira, a escola está aberta com os mesmos horários de aula'. Isso não vai acontecer. A gente vai precisar fazer uma acolhida. Precisaremos pensar em um grupo voltando em rodízio com outro grupo durante um tempo, de modo a resolver as questões de saúde e, ao mesmo tempo, dar os primeiros passos para a retomada das aulas presenciais. Essa volta é mais complexa e mais específica", afirmou o secretário, respondendo aos questionamentos de uma estudante da rede pública.

DISTANCIAMENTO SOCIAL

Especialistas apontam que, mesmo que as atividades escolares e comerciais voltem, pode ser preciso ter regras que mantenham o distanciamento social até 2022, já que ainda não há vacinas nem remédios de eficácia comprovada contra o coronavírus.

RETORNO ÀS AULAS 

No Espírito Santo, ainda não há uma definição de quando os alunos retornarão para as salas de aulas. Na transmissão, o secretário citou que as previsões mais otimistas falam em retorno já em junho; as mais pessimistas, em setembro.

"É muito difícil dizer quando a gente vai voltar. Já vi gente falando em início de junho, uma data um pouco mais provável, que vi mais gente falando, seria início de julho. Mas também já vi gente falando em agosto, setembro", afirmou.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.