Prédio no bairro Nova Itaparica corre risco de desabar, em Vila Velha

Segundo informações da Prefeitura de Vila Velha, o edifício Santos II, n°2, apresentou risco de desmoronamento e sofreu interdição. Moradores e vizinhos precisaram deixar suas casas

Vitória
Publicado em 24/01/2021 às 10h52
Atualizado em 24/01/2021 às 18h21
Bairro Nova Itaparica
Prédio em Vila Velha corre risco de desmoronamento. Crédito: Internauta

Um prédio localizado na Avenida do Canal, no bairro Nova Itaparica, em Vila Velha, apresentou risco de desmoronamento na madrugada deste domingo (24). De acordo com testemunhas, que preferem não se identificar, duas vigas de sustentação do imóvel estão trincadas e os moradores e vizinhos precisaram deixar suas casas. "Ouvimos um grande estrondo e uma coluna começou a estourar. Todo mundo saiu desesperado, de madrugada. Foi todo mundo pra rua. Estamos com medo", relatou um morador.

Com um bebê de apenas seis meses, o vendedor Thiago Costa contou que tudo aconteceu minutos depois da meia-noite. "Eu coloquei o meu filho para dormir e fui para sala. Quando botei o pé na sala, eu ouvi um barulho muito forte, como se fosse um caminhão batendo em algum lugar", disse.

Thiago Costa

Vendedor e morador do prédio

"No mesmo momento em que eu ouvi esse barulho, eu senti como se estivesse dentro de um elevador, porque fez um movimento para baixo. Eu cheguei até a abrir os braços"

Sem entender o que estava acontecendo, ele foi até a janela, encontrou uma vizinha na mesma situação e decidiram ver o que havia ocorrido. "Quando eu abri a porta do prédio, já tinha um monte de gente para cima e para baixo. Uma mulher desceu pelas escadas e chegando embaixo gritou: 'Meu deus, a pilastra caiu'. Nessa hora, todo mundo começou a evacuar o prédio", lembrou.

Segundo informações da Prefeitura de Vila Velha (PMVV), o edifício Santos II, n°2, apresenta riscos e sofreu interdição. Além dele, o prédio de trás, as casas e prédios laterais e de frente também foram interditados. A Guarda Municipal (GMVV) realizou isolamento total da rua, não permitindo que as pessoas entrem no prédio até autorização do engenheiro da Defesa Civil — por segurança e para evitar furtos nas residências.

Também de acordo com a PMVV, os moradores do prédio e demais residências em risco foram para casa de familiares ou para hotéis, disponibilizados pela construtora. A PMVV informou ainda que o engenheiro da obra estará no local, junto aos técnicos da Defesa Civil, ainda pela manhã.

Segundo uma ex-moradora do imóvel, o prédio está condenado. "Está todo mundo na rua, sem conseguir entrar em casa desde 1h da manhã. Estão só com a roupa do corpo e não sabem o que fazer", afirmou.

Demandado pela reportagem sobre o assunto, o Corpo de Bombeiros, por meio da Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil (Cepdec) informou que foi acionada por volta das 7h50 deste domingo (24) para prestar apoio com engenharia em uma ocorrência de desabamento iminente de uma edificação, no bairro Nova Itaparica.

Em nota, explicou ainda que a Guarda Civil Municipal e a Defesa Civil de Vila Velha evacuaram os moradores e interditaram o local, após estouros e exposição de estrutura interna de pilares do prédio, por volta da 0h deste domingo. Após as avaliações das equipes de engenheiros do município e Cepdec, na parte da manhã, cinco imóveis do entorno também foram evacuados e interditados, com cerca de 220 pessoas necessitando deixar suas casas. A construtora responsável foi acionada e a ocorrência, agora, está a cargo do município.

Nova Itaparica
Engenheiros vistoriam imóvel com chances de desabar em Vila Velha. Crédito: Prefeitura Municipal de Vila Velha

De acordo com o coordenador adjunto da Defesa Civil de Vila Velha, Afonso Belenda Netto, está sendo realizada uma avaliação estrutural pelo engenheiro da Defesa Civil estadual e pelo engenheiro da Santos Construtora, além do trabalho de escora, que foi iniciado e pode acabar ainda no final da tarde deste domingo (24). "Será emitida uma anotação de responsabilidade técnica (ART) desse trabalho e vamos acompanhar. Ao término do serviço será feita nova avaliação para permitir que os moradores dos prédios vizinhos tenham condições de voltar para suas casas. A Guarda Municipal mantém a área isolada em um perímetro de segurança a partir do ocorrido", afirmou.

Caroline Cucco, advogada da Santos Construtora, responsável pelo empreendimento, afirmou que a empresa está tomando as medidas cabíveis. "Os moradores do local foram realocados para hotéis, onde está sendo fornecida alimentação. Estamos aguardando o laudo definitivo da defesa civil, mas, aparentemente, não há risco do edifício cair, conforme informações do órgão."

Atualização

24 de Janeiro de 2021 às 16:00

O Corpo de Bombeiros e a advogada que representa a construtora Santos se manifestaram sobre a situação do edifício após a publicação da matéria. O texto foi atualizado com as novas informações. 

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.