ASSINE

Pazolini anuncia volta às aulas em Vitória para a próxima segunda

A informação foi divulgada por meio de um vídeo compartilhado nas redes sociais do prefeito Lorenzo Pazolini

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 04/05/2021 às 14h47

As aulas presenciais na rede municipal de Vitória serão retomadas a partir da próxima segunda-feira (10). A informação foi confirmada nesta terça-feira (4) em um vídeo compartilhado nas redes sociais pelo prefeito Lorenzo Pazolini.

A retomada foi anunciada após uma reunião com a presença de representantes da Prefeitura de Vitória, da Assembleia Legislativa do Espírito Santo, Sindicato das Empresas Particulares de Ensino do Espírito Santo (Sinepe-ES), e o professor e coordenador da Sociedade Brasileira de Pediatria, Rodrigo Aboudib.

"Com muita responsabilidade e serenidade, o município vem debatendo a necessidade da volta às aulas. Tivemos intensos debates ouvindo, dialogando e interagindo. É chegado o momento do retorno. Estamos perdendo toda uma geração, não dá mais para aceitar essa condição. Temos de respeitar a ciência, ouvir os especialistas, mas também os pais, mães aflitos que estão em suas residências", disse Lorenzo, no vídeo.

Na avaliação do presidente do Sinepe-ES, Moacir Lellis, a retomada das aulas presenciais é importante para o desenvolvimento das crianças e adolescentes. "A criança precisa de um relacionamento, ela precisa de ter contato com outra criança. Essa convivência socioemocional é importante para o desenvolvimento de uma criança", enfatiza.

O coordenador regional da Sociedade Brasileira de Pediatria, o médico pediatra Rodrigo Aboudib, também concorda com a decisão. "Entendemos que nessa janela de oportunidade que nós estamos perdendo na pandemia é absolutamente fundamental que todos os atores envolvidos com a educação infantil se juntem, se unam, na defesa dessa educação", destacou.

Até o momento, o governo do Estado ainda não se pronunciou e não fez nenhum anúncio sobre volta às aulas. Na semana passada, o governador Renato Casagrande anunciou que deveria apresentar possíveis mudanças sobre os formatos de aulas presenciais ou remotas na próxima sexta-feira (7) durante anúncio do Mapa de Risco. Por meio da assessoria, o governo informou que o assunto seria tratado por meio da Secretaria de Estado da Educação (Sedu).

A reportagem também entrou em contato com a assessoria do prefeito Lorenzo Pazolini questionando, por exemplo, como têm sido os preparativos para a retomada; como ele avalia o atual comportamento da pandemia no Estado; e qual a mensagem de segurança ele poderia passar para os pais e responsáveis pelos alunos na volta às aulas presenciais. No entanto, não houve retorno.

COMO ESTÃO AS AULAS

O atual mapa de risco do Espírito Santo, com vigência até domingo (9) indica que a Região Metropolitana – Vitória, Serra, Cariacica, Vila Velha, Viana, Fundão e Guarapari – continua em risco alto de transmissão da Covid-19. Ao todo, são 56 cidades que estão em risco alto, 22 em risco moderado e nenhuma em risco extremo ou baixo.

No risco alto, está autorizado o ensino no modelo remoto, tanto na rede privada quanto na pública, porém estão autorizados atendimentos individuais presenciais para que professores possam dar assistência a seus alunos.

No risco moderado, são permitidas atividades com a presença de alunos nos estabelecimentos de ensino, desde que sejam seguidos todos os protocolos de segurança sanitária definidos pelo governo do Estado e as prefeituras. Um desses itens é a manutenção apenas 50% do total de alunos em cada sala de aula.

Com base neste entendimento, questionamos a Secretaria de Estado da Educação (Sedu) quanto a possibilidade de Vitória, caso ainda esteja classificada em risco alto na próxima semana, ofereça o ensino por meio das aulas presenciais. Por nota, a Sedu informou que continua seguindo o "Mapa de Risco do Governo do Estado, que é atualizado semanalmente".

"Atualmente, nos municípios de Risco Moderado (e quando houver municípios de Risco Baixo) as aulas na Rede Estadual podem ser realizadas no formato híbrido (presencial e remoto). As redes privada e municipais podem adotar o mesmo modelo, podendo, também, ser presencial. Vinte e dois (22) municípios, classificados, atualmente, como Risco Moderado já realizam aulas no formato híbrido, de acordo com o Mapa de Risco vigente de 03 a 07 de maio", limitou-se a informar o documento.

sedu
Sedu mantém atividades escolares a partir da definição do Mapa de Risco. Crédito: Arquivo A Gazeta

SINDICATO VAI RECORRER DA DECISÃO

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Espírito Santo (Sindiupes) informou que aguarda uma publicação oficial da decisão de retomada das aulas presenciais em Vitória para recorrer da decisão municipal. O anúncio foi feito na tarde desta terça-feira (4) pelo diretor Paulo Loureiro.

Paulo Loureiro

Diretor do Sindiupes

"Entendemos a decisão como precipitada e irresponsável. Nós, da direção do sindicato, estamos aguardando a publicação do ato oficial para tomarmos as medidas jurídicas necessárias para tentar barrar esse descalabro que é esse retorno dessa forma"

Loureiro destacou que o governo municipal não discutiu o assunto com o Sindiupes. Na avaliação dele, o retorno às atividades escolares na modalidade presencial deve ser feita quando Vitória deixar a classificação de risco alto, conforme determinam os decretos e portarias do governo do Estado.

"Os trabalhadores da educação estão sendo vacinados a conta-gotas e nós entendemos que o retorno seguro para toda a comunidade escolar deverá ser com a imunização, ou seja, com as duas vacinas aplicadas", sugeriu.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.