ASSINE

Ovos de tartarugas são vandalizados em praia da Serra

O crime aconteceu durante o final de semana e um filhote foi encontrado morto nesta segunda (24);  tartaruguinhas estavam perto do nascimento

Tempo de leitura: 2min
Vitória
Publicado em 25/01/2022 às 13h22
Desova de tartarugas foi vandalizada em Jacaraípe, na Serra
O local de desova de tartarugas foi vandalizado no balneário de Jacaraípe, na Serra. Crédito: Claudiney Rocha

Um ponto de desova de tartarugas foi vandalizado no balneário de Jacaraípe, na orla da Serra, e um dos filhotes morreu antes mesmo de conseguir sair do ovo. O crime aconteceu durante o final de semana, porém o pequeno animal foi encontrado morto nesta segunda-feira (24).

Quem denunciou a situação foi o técnico em meio ambiente Claudiney Rocha, membro do Instituto Brasileiro de Fauna e Flora (IBRAFF), uma organização privada que trabalha na preservação ambiental através de políticas de educação e sensibilização. Ele contou que os ovos já estavam próximos de eclodir quando foram vandalizados.

"A desova foi feita no dia 26 de novembro de 2021, daí então estamos ajudando no monitoramento junto com o CTA Meio Ambiente. Geralmente as desovas têm um tempo de incubação entre 60 a 65 dias. Esta já estava com 58 dias ontem (24)", disse.

Desova de tartarugas foi vandalizada em Jacaraípe, na Serra
As tartaruguinhas estavam já perto do nascimento, de acordo com a contagem feita desde que o local foi identificado . Crédito: Claudiney Rocha

Claudiney explicou que os filhotes eram da espécie Caretta caretta, também chamada de tartaruga cabeçuda. Ele contou que não é a primeira vez que uma desova é vandalizada na praia de Jacaraípe, e que já houve até roubos a ovos. O técnico em meio ambiente ressalta que existem vários pontos de desovas espalhados pelo litoral capixaba. Desta forma, é importante que banhistas e frequentadores preservem esses locais.

Este vídeo pode te interessar

"Infelizmente já tivemos desovas que sofreram atos de vandalismos e até mesmo desovas foram roubadas. Isso é crime ambiental. Pedimos aos frequentadores que nos ajudem no monitoramento. Quando ver qualquer tipo de ocorrência criminosa contra o meio ambiente, denunciar pelo 181 ou chamar uma autoridade policial. Desta forma, vai nos ajudar na preservação da fauna e flora do nosso litoral", argumentou.

Claudiney Rocha

Técnico em meio ambiente e membro do IBRAFF

"As pessoas não devem mexer nos locais demarcados, além disso, pedimos para não estacionar veículos em cima da vegetação de restinga, não colocar churrasqueiras diretamente na areia e manter a praia limpa. Estas ações vão ajudar na preservação das tartarugas marinhas e de toda a biodiversidade ali existente"

Claudiney explicou que o ciclo de reprodução das tartarugas ocorre entre o final do mês de setembro até o final de março, quando acontecem as desovas e nascimentos das tartarugas marinhas. Ele acrescentou que, para o caso de qualquer ocorrência marinha, o banhista pode acionar o 0800 0395 005, que é o telefone de monitoramento das praias.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.