"Nasci de novo", diz porteiro após ter corpo atravessado por ferro no ES

Com o impacto da batida, uma das barras de ferro da estrutura da ponte se soltou e atravessou o corpo do porteiro Jeferson Rosendo, de 31 anos. Mas ele sobreviveu, já deixou a UTI, demonstra lucidez e afirma estar bem

Vitória
Publicado em 26/01/2021 às 08h17
Atualizado em 26/01/2021 às 08h44
Jeferson Rosendo, de 31 anos, passa bem e está na enfermaria
Jeferson Rosendo, de 31 anos, passa bem. Crédito: Arquivo pessoal

O porteiro Jeferson Rosendo, de 31 anos, que dirigia no sentido Praia do Canto, em Vitória, e acabou sofrendo uma colisão com a barra de proteção da Ponte de Camburi na manhã de sábado (23), deixou a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Estadual de Urgência Emergência (HEUE) nesta segunda-feira (25). Em conversa com a reportagem de A Gazeta, o morador da Serra comemorou o milagre de estar vivo: "Nasci de novo".

Com o impacto da batida, uma das barras de ferro da estrutura da ponte se soltou e atravessou o corpo do porteiro. Pai de duas filhas, de 10 e 11 anos, Jeferson sobreviveu ao acidente e afirma estar bem. "Graças a Deus passei pela cirurgia, foi tudo certo e meus exames estão bons. Minha glicemia e pressão estão corretas, meus batimentos cardíacos estão bem. Estou respirando bem, sem aparelho desde que cheguei e hoje (25) deixei a UTI", contou.

Jeferson também disse que deve a vitória a Deus. "Levei uns trezentos pontos nas costas, mas com o livramento de Deus isso não foi nada. Logo, logo, estou aí de novo. Só quebrou a escápula, não atingiu órgão nenhum, nenhuma artéria. Estou em recuperação e vou poder receber visitas. A dor não é nada perto do livramento que eu vivi. Estou muito feliz mesmo", disse.

CONSCIENTE DE TUDO

Um dos aspectos mais impressionantes do grave acidente foi que Jeferson acompanhou cada detalhe sem perder a calma em momento algum. Ele contou que tinha acabado de comprar pão em uma padaria e que estava a caminho do trabalho quando tudo aconteceu.

"Assim que eu subi a ponte, ali tem um ressalto de concreto. Passei por ali, virei um pouco o volante, não estava correndo, não estava com pressa, até porque não estava atrasado, mas comecei a rodar. Pensei que só Deus poderia me salvar, não tinha outra coisa a pensar. Bati no meio fio e fui em direção a ele. Então senti a barra de ferro passando por mim e pedi a Deus para que ela não atingisse um órgão. Me apalpei para ver se estava tudo bem. Quando vi que a barra de ferro havia passado pelo meu braço, fiquei mais sossegado", contou.

Jeferson foi o primeiro a acionar o Samu. "O pessoal de fora estava mais nervoso que eu. Liguei para o Samu, mas não conseguiram ouvir direito, então mais gente ligou. Antes de eu abrir a porta do carro, um senhor bateu no vidro e falou para eu ficar calmo, mas eu já estava. Pedi a ele para pegar meu telefone e falar com a moça do Samu. Foi só esperar o resgate. Eu sentia dor, mas a felicidade de estar vivo era maior", explicou o porteiro.

CIRURGIA

Logo ao chegar ao hospital, Jeferson Rosendo foi encaminhado para a sala de cirurgia. Segundo ele, a barra que atravessou o corpo dele tinha o diâmetro semelhante à parte interna de um rolo de papel higiênico. Questionado sobre o procedimento cirúrgico, ele disse que não lembra de nada: "eu apaguei".

"A equipe do hospital é muito prestativa, faz as coisas com calma. Eles logo estudaram meu caso e analisaram como seria feita a cirurgia, que foi bem sucedida, não tive problemas nem durante, nem depois. Ainda não sei quando vou ter alta, mas já estou em observação na enfermaria e estou muito feliz. Meus amigos estão aqui, assim como meus familiares. Só tenho a agradecer. Deus esteve comigo o tempo todo, eu não tenho dúvida disso. E vai continuar assim", finalizou o sobrevivente.

O ACIDENTE

O acidente aconteceu por volta das 7h do último sábado (23), segundo a Guarda Municipal de Vitória. O motorista colidiu com a barra de proteção da Ponte de Camburi, em Vitória, no sentido Praia do Canto. Com o impacto da batida, uma das barras de ferro da ponte se soltou e atravessou o corpo do motorista.

Na foto é possível ver os Bombeiros em atendimento ao acidente da Ponte de Camburi neste sábado (23)
Acidente na Ponte de Camburi. Crédito: Daniela Carla I TV Gazeta

De acordo com Bruno Xavier, chefe de Trânsito da Capital, o motorista perdeu o controle e colidiu com a mureta. A vítima foi atendida pelo Samu. 

O Corpo de Bombeiros atendeu à ocorrência. De acordo com informações da TV Gazeta, o resgate durou cerca de 40 minutos e foi complicado. Uma destas barras entrou no ombro direito e saiu no braço. Ele foi retirado do carro, colocado na ambulância e depois levado, estável, para o Hospital Estadual de Urgência Emergência (HEUE).

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.